Últimas

Dia do Jornalista é lembrado por profissionais da comunicação no Amazonas



Nesta sexta-feira, 7 de abril, comemora-se o Dia do Jornalista. O portal Blitz Amazônico aproveita para felicitar aos profissionais da área, pelo empenho no trato com a informação parcial, ética e credibilidade.

Há quem diga que o exercício do Jornalismo é um sacerdócio. Profissão vista por alguns como glamorosa, traz na verdade uma enorme responsabilidade, pois as informações mudam destinos, transformam a política, traz os dados da economia e da Ciência e contam a história da humanidade.






Para o acadêmico de Comunicação Social, Marden Nogueira Braga, 21, a escolha pelo curso de Jornalismo foi acertada, pois era para ele, um sonho de criança. Em fase de conclusão do curso, diz que o trabalho desenvolvido pelos jornalistas é de grande importância social. “A data de hoje é importante, faz com que o jornalista sinta-se acolhido pela sociedade,  afinal é uma peça fundamental para que haja a comunicação. Escolhi essa profissão porque gosto de trabalhar com a informação", ressalta.



Para falar sobre a data, o Blitz Amazônico também conversou com alguns profissionais da comunicação no Amazonas, que opinaram sobre a profissão:


A jornalista e professora Gláucia Chair, questionada sobre a importância da data, disse que é inquestionável a importância da profissão pelo valor social de trabalho. "Quero aproveitar a oportunidade para parabenizar a todos os colegas que contam histórias reais e estimulam  mudanças na sociedade, com informações importantes para a construção de uma sociedade cidadã". 


Convidada a deixar dicas para futuros jornalistas, Gláucia disse que o profissional tem o dever de dominar a língua com a qual trabalha, além de saber contextualizar os fatos. "E fundamental que o jornalista seja um pesquisador de todos os assuntos. Apesar de ter um conhecimento generalista, é preciso saber informar com correção e ética, e lembrar sempre, que seu texto de hoje, estará nos livros de história de amanhã", concluiu.






A jornalista Jônia Quédma, que também é professora do curso de Comunicação Social da Uninorte, diz ser apaixonada pela comunicação. Para ela o Dia do Jornalista é emblemático, faz perceber o quanto é importante essa profissão. “Nós podemos participar da sociedade de uma forma melhor, podemos transformar o mundo como sempre sonhamos, nas pequenas coisas no dia a dia, a gente consegue mudar a sociedade. A todos aqueles que estão se formando agora, estão querendo um lugar no mercado, valorizem cada vez mais essa profissão”, ressaltou.





O comunicador Lerron Santiago falou sobre a importância de ser jornalista na sociedade atual. Segundo o profissional, em uma época em que a notícia instantânea predomina, é necessário ter cuidado, apurar os fatos, escrever conteúdos que tenham valor social. Para ele a profissão é ampla e tem espaço para todos. “Hoje em dia, há milhares de jovens que criam seus pequenos blogs e diariamente postam assuntos diversos. Como seria hoje se não houvesse um jornalista? Parabéns colegas pelo nosso dia que não podemos comemorar,.Vamos atrás das matérias, agora!", brincou.




                                                    Jornalista Clayton Pascarelli




                      Radialista Magalli Fortes parabeniza os profissionais.




   Cláudio Barbosa- Diretor da assessoria de comunicação da Assembléia Legislativa 
Um brinde ao Dia dos Jornalistas




        O Radialista Patrick Motta falou da importância do profissional no Radiojornalismo







           Locutor Sidney Rodrigues parabeniza colegas pelo Dia dos Jornalistas 




Videorreportagem 




  Videorreportagem com Wilson Lima






Saiba mais sobre a profissão de Jornalismo no Brasil:

Os jornalistas brasileiros não tinham formação específica até a década de 1940. Os profissionais do Jornalismo eram, em sua maioria, médicos, advogados e, posteriormente, escritores.

O primeiro curso de Jornalismo no Brasil, criado em 1947, em São Paulo, com a Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero. A graduação na área apenas ganhou força na década de 1960.O diploma para exercício da profissão tornou-se exigência em 1969, o que possibilitou o crescimento e aperfeiçoamento dos cursos de graduação e, posteriormente, especializações para os profissionais da comunicação.

A exigência do diploma para exercício da profissão foi derrubada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em 17 de junho de 2009. A justificativa é até hoje questionada pelos profissionais da área. Para o STF exigir tal formação cerceava o direito à informação e à liberdade de expressão e que o diploma, além de servir apenas aos interesses das instituições de ensino superior, foi exigido em um período de repressão, isto é, durante o Regime Militar no Brasil.

O assunto voltou às pautas de discussão definitivamente em 2015, em uma tentativa de aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que pretende restituir a obrigatoriedade do diploma de jornalista.

O Jornalista

A faculdade de Jornalismo tem duração de quatro anos, divididos em oito períodos. Ainda na graduação, o futuro comunicador pode colocar em prática as noções aprendidas em sala por meio dos estágios, que podem ser obrigatórios ou não, conforme a instituição de ensino. Ser estagiário facilita a inserção do estudante no mercado de trabalho.

O jornalista deve ter domínio de Língua Portuguesa e boas técnicas de redação; manter-se atualizado sobre os principais assuntos, ser criativo e ter boa comunicação. O profissional pode atuar em diversas áreas e cargos, alcançando inclusive postos de chefia. Entre as mídias que contam com a participação do jornalista, estão:

Web (internet); Televisão, Revistas, Jornais Impressos, Rádio, Assessoria de Imprensa/Comunicação.

Uma das áreas que mais crescem e oferecem oportunidades aos jornalistas é a web. Com a popularização da internet e das plataformas digitais, a busca pela informação instantânea e a possibilidade de interatividade aquecem o mercado, para profissionais dispostos a se dedicarem ao Webjornalismo.

Outro setor que tem se destacado nos últimos anos é a Assessoria de Imprensa. O assessor é responsável pela representação de empresas, órgãos, indústrias ou personalidades em meios de comunicação e perante a sociedade. Além disso, o jornalista que atua nessa área, utiliza o seu conhecimento de técnicas de redação e edição para produzir notas, notícias e reportagens para sites, revistas, jornais e até mesmo TV, assim como pode ficar a cargo da comunicação interna ou, ainda, integrada, trabalhando com os profissionais de Relações Públicas e Publicidade e Propaganda.


Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.