Últimas

Menina encontrada em floresta indiana não estava vivendo com macacos



Muitos na Índia e no mundo acompanharam o caso de uma menina na Índia que aparentemente estava vivendo com um bando de macacos.

Mas, segundo o jornal India Times, há bem menos mistério do que se imagina: as autoridades trabalham com a possibilidade de que a garota, que tem entre 8 a 10 anos, tenha deficiência mental e pode ter sido abandonada pelos pais na floresta em que foi encontrada há algumas semanas, no estado de Uttar Pradesh, no norte do país.

Inicialmente, o policial Suresh Yadav contara à BBC que a menina fora encontrada brincando com macacos e que imitava o comportamento dos primatas.

Ela tinha sido avistada por moradores de um vilarejo na reserva natural de Katarniaghat, próximo da fronteira com o Nepal. 


Mas autoridades indianas desmentiram os relatos e afirmaram que o mais provável é que a menina tenha sido abandonada pelos pais. E que ela não tenha passado muito tempo na floresta.

"Não é possível que uma menina passe anos em um bosque e que guardas florestais ou mesmo centenas de câmeras instaladas para monitorar animais não a tenham notado", disse Gyan Praksh Singh, responsável pelo setor da floresta em que a menina foi encontrada.

"O mais provável é que ela tenha sido abandonada aqui pouco antes de ser encontrada."

Alguns relatos citavam macacos atacando a equipe de resgate e que a menina estava desnutrida, tinha cabelos e unhas longos e apresentava ferimentos e arranhões pelo corpo. Mas a nova versão é que a garota foi encontrada perto de uma estrada, não nas profundezas da floresta.

"Os pais sabiam que ela não poderia falar e a abandonaram. Temos macacos aqui, mas ela não estava vivendo com eles", disse, em entrevista ao jornal The Guardian, JP Singh, diretor do departamento florestal do Estado.

"Quem vê a menina percebe logo que ela tem problemas mentais e físicos."

A previdência social indiana oferece pouca ajuda a famílias com crianças deficientes em um país em que centenas de milhões de pessoas vivem em probreza absoluta.

Segundo as autoridades, a menina foi enviada a um albergue infantil.

BBC

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.