Últimas

Cai número de notificações de sarampo em Manacapuru, aponta FVS

Município é o segundo com maior número de notificações da doença no Amazonas. Entre junho e julho, as notificações diminuíram de 134 para 9 casos

Os casos de sarampo em Manacapuru, na Região Metropolitana de Manaus, segundo município com maior número de notificações da doença no Amazonas, começaram a cair no mês de julho. A informação é da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), órgão da Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

No ponto mais crítico da doença no município, registrado na semana entre os dias 17 e 23 de junho, foram notificados 134 casos. Desde então, o número vem caindo, semana a semana. Na semana de 1º a 7 de julho foram 87 casos notificados e uma semana depois, de 8 a 14, caiu para nove casos.

O secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato, acredita que o resultado já seja um reflexo do trabalho integrado realizado entre os órgãos do Estado e município para o enfrentamento ao sarampo. Deodato disse que desde quando foram registrados os primeiros casos, se iniciou um trabalho forte para vacinação e conscientização da população, tendo à frente a Secretaria Municipal de Saúde de Manacapuru (Semsa-Manacapuru), a FVS, a Fundação de Medina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) e as secretarias de Educação do Estado (Seduc) e também do município.

Desde que se iniciou o surto em Manacapuru, já foram aplicadas 18 mil doses de vacinas. “Fizemos uma varredura na cidade, vacinando de casa em casa, em dez bairros, e também na zona rural. Isso aumentou a cobertura, o que influenciou na queda das notificações”, ressalta o secretário municipal de saúde, Adenor Porto.

Ações intensificadas

No início do mês de junho, quando foi constatado o aumento no número de notificações em Manacapuru, a FVS instalou uma Sala de Situação no município, com o objetivo de intensificar as ações de vigilância em saúde e assistência aos pacientes com suspeita da doença.

No último boletim da Sala de Resposta Rápida para o Surto de Sarampo no Amazonas, divulgado pela FVS, dos 3.367 casos notificados no Estado, 564 eram de Manacapuru. O município também tinha a maior taxa de incidência com risco de 581, 6 casos por 100.000 habitantes. O número de notificações de casos suspeitos de sarampo em Manacapuru faz com que se considere o município em estado de surto da doença. Até o momento, nenhum caso foi confirmado.

A coordenadora de Atenção Básica de Manacapuru, Jomara Neves, ressalta que, além de aumentar a cobertura com vacinação, outra medida para conter o avanço da doença foi fazer a coleta do sangue para os testes de pessoas com suspeita da doença, direto nas residências. “Dessa forma, diminuímos a chance desta pessoa transmitir a doença para outras, uma vez que ela permanece em casa”, explica a coordenadora.

Jomara ressalta, também, que o município criou um setor específico para atender casos de suspeita de sarampo dentro do hospital da cidade, evitando com que os pacientes tenham contato com os demais usuários da unidade.

Outra medida adotada pelo município foi criar uma equipe para investigar os possíveis pontos onde os casos suspeitos podem ter transmitido a doença para outras pessoas. “Isso nos auxiliar a traçar a nossa estratégia de vacinação”, explica Jomara.

Em parceria com as secretarias de Educação (do Estado e do Município), a Semsa-Manacapuru também realizou a vacinação de todos os servidores das 52 escolas em funcionamento na cidade. Universitários do município que estudam em Manaus também foram alvo da campanha de vacinação, informou Jomara. As 18 mil doses de vacina foram aplicadas entre os dias 8 de junho e 10 de julho, disse a coordenadora.

O bairro Liberdade, o mais populoso de Manacapuru, é o que mais tem casos suspeitos de sarampo sendo investigados: 120. Em seguida, vem São José (81 casos) e Correnteza (63 casos).

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.