Últimas

Senai e Cetam abrem turmas para cursos com ênfase em Indústria 4.0 no PIM

Rebeca BeatrizManaus (AM)
Divulgação
Para atender às demandas do mundo globalizado, as instituições de ensino começam a investir em cursos voltados para a área da indústria 4.0, que é uma tendência na atualidade. Processos que envolvem robotização e automação se tornam cada vez mais presentes, e qualificar pessoas para a realização de funções neste ramo se torna uma preocupação constante das instituições de ensino, que já se preparam para oferecer formação neste novo ramo.

Cursos

Em Manaus, a partir do segundo semestre de 2018, o Cetam irá oferecer os cursos de Mecatrônica com ênfase em Indústria 4.0; e Robótica com ênfase na Indústria 4.0. Haverá uma turma para formação em Programação de Web com iniciação à Indústria 4.0 para pessoas que possuem deficiência e já atuam no Distrito Industrial.

O diretor-presidente da instituição, José Augusto de Melo Neto, explica que o objetivo é atender às necessidades do mercado de trabalho regional. “A área de a indústria 4.0 é específica para atender à nova demanda do Polo Industrial de Manaus, que já está em movimento nos processos automatizados, robotização e mecatrônica. Inicialmente, iremos disponibilizar cerca de 500 vagas, que podem ser ampliadas conforme a procura”, diz.

Os cursos do Cetam são gratuitos e para concorrer a uma das vagas é necessário ter o Ensino Médio completo.

Outra instituição que irá atualizar o catálogo de cursos é o Senai. A partir do dia 6 de agosto começam três novos cursos na área da Indústria 4.0: Conectando à indústria 4.0; Programação móvel para AIOT e IOT; e Explorando o Big Data. Para se inscrever nos cursos do Senai é preciso ter noções de informática e o Ensino Médio completo.

Perfil

Para atuar na indústria 4.0, o profissional precisará ter quatro características fundamentais, segundo o gerente da escola Senai Antônio Simões, José Nabir.

“Perfil multidisciplinar, capacidade de adaptação, senso de urgência e bom relacionamento são essenciais no profissional da Indústria 4.0. Está chegando ao fim a era do técnico que só aperta botões. Os operários precisarão aprender a lidar com máquinas e robôs inteligentes” explica.

Incentivo à formação profissional

É fundamental para a economia do Estado que as instituições de formação profissional promovam o acesso a ambientes industriais. E além disso, promovam educação profissional em todos os níveis, inovação e transferência de tecnologia para as indústrias. De acordo com o superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional da Suframa, Marcelo Pereira, o órgão aposta na capacitação voltada para as áreas de engenharia e automação.

“A indústria 4.0 vem sendo tratada como prioridade pela Superintendência da Zona Franca de Manaus, , principalmente a partir do momento em que o Comitê das Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento da Amazônia passou a desenvolver novos procedimentos para os programas prioritários, que preveem macroáreas para o desenvolvimento de cursos voltados à computação, tecnologia da informação e diversas engenharias”, destaca.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.