Últimas

CGE descentraliza serviços de ouvidoria com atendimento à pessoa com deficiência

Foto: Divulgação
Um Termo de Cooperação Técnica firmado entre a Controladoria-Geral do Estado (CGE), por meio da Subcontroladoria-Geral de Ouvidoria, e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped) viabilizará acesso ao Sistema de Ouvidorias do Estado (e-OUV) em mais uma unidade estadual.

Agora, o cidadão que buscar atendimento nas dependências da Seped também terá a oportunidade de registrar reclamações, denúncias, elogios, sugestões ou solicitações de informações. O termo, também conta com a parceria da Secretaria de Estado do Trabalho (Setrab).

O documento prevê o estabelecimento do ponto de atendimento do Sistema Nacional de Emprego (Sine) nas dependências da Seped e os atendimentos de ouvidoria. O cidadão registrará a manifestação e receberá um número de protocolo que possibilitará o acompanhamento da demanda. O prazo para resposta é de 30 dias corridos conforme a Lei Federal número 13.460/2017.

Cidadania - De acordo com a subcontroladora-geral de Ouvidoria, Seilani Almendros, a expansão dos serviços de atendimento ao público garante cidadania às pessoas com deficiência.

“O e-OUV é um mecanismo de controle social que estará disponível na Seped a partir desta semana. É uma forma de atendermos às demandas registradas pela população que buscar atendimento na secretaria. O objetivo é ouvir e atender”, disse.

Foto: Divulgação
Acessibilidade - O secretário de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Kleber de Oliveira Santos, ressaltou que a proposta do trabalho é dar maior acessibilidade à pessoa com deficiência.

“Priorizamos o atendimento humanizado e queremos dar maior acessibilidade ao cidadão”, disse o titular da Seped.

Controle social - Segundo o secretário executivo da Seped, Ronaldo Bacry Brasil, a unidade descentralizada da ouvidoria funcionará na Seped a partir de quinta-feira (02/08). Ele frisa que o serviço de ouvidoria é fator fundamental para o controle social.

“O serviço possibilita a manifestação do cidadão e isso contribui para a construção da política pública. É mais um canal de comunicação entre o cidadão o Estado”, salientou.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.