Últimas

MENINO É ENCONTRADO DEGOLADO NO LAGO DO PURAQUEQUARA EM MANAUS

Estudante Deivid de Santana Dias tinha 13 anos (Foto: Arquivo Pessoal)


um adolescente que estava desaparecido desde o fim de semana foi encontrado morto e degolado, na manhã desta segunda-feira (27), no Lago do Aleixo, no bairro Puraquequara, Zona Leste de Manaus. O estudante Deivid de Santana Dias, 13 anos, havia sido visto pela última vez na companhia de outros dois adolescentes em um torneio de pipa.

Segundo a família da vítima, Dias saiu de casa no Puraquequara às 22h da noite sábado (25) e atravessou o lago de canoa com um primo de 13 anos e amigos adolescentes. O grupo foi participar de uma disputa de pipas (papagaio) na comunidade 11 de Maio, que fica na outra margem do lago, no bairro Colônia Antônio Aleixo.

Após a competição, o grupo se dividiu em duas canoas para atravessar novamente o lago, por volta das 23h.

"Meu primo ia pegar carona em outra canoa porque não dava para todos virem ou teríamos que dar duas viagens. Ele ficou para voltar com esses dois colegas. Desde então não vimos mais o Deivid. No outro dia fomos perguntar desses amigos o que tinha acontecido e por que ele não tinha voltado. Eles falaram que o Deivid tinha voltado para comunidade para ir atrás de nós", contou o primo.

A família fez buscas na região no domingo (26), mas o corpo do jovem foi localizado somente na manhã desta segunda-feira, por volta das 8h30.

Pessoas que navegavam no trecho próximo da Hilário Calheiro encontraram o corpo e levaram para a margem. A Polícia Militar foi acionada e uma equipe da 28ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) isolou a área até a chegada de peritos e investigadores da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

"Quando chegamos o corpo já tava na margem do lago. Familiares reconheceram a vítima, que apresenta um corte profundo no pescoço", disse sargento Iriel Viana, da 28 Cicom.

O estudante morava com família há 15 dias na Comunidade Bela Vista e, pela segunda vez, tinha atravessado o lago.

"Saiu e voltou nesse estado. Era meu único filho, meu Deus. Não sei por qual razão fizeram isso com ele. Era a segunda vez que ele ia para lá, sem eu deixar. Filho que engana é isso que acontece", disse, emocionada, a mãe do adolescente Regiane Santana, de 40 anos.

A motivação e autoria do crime serão investigadas pela Polícia Civil.

g1

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.