Últimas

MOTORISTA LADRÃO DO APP 99 DIZ ESTÁ ARREPENDIDO: VOCÊ PEGARIA UMA CORRIDA COM ELE?


O motorista de aplicativo Adiel Mendes Ferreira Júnior, 27, foi indiciado por furto qualificado. Ele confessou, na manhã desta sexta-feira, ter furtado R$ 3.050,00 de uma passageiro durante uma corrida, solicitada pelo aplicativo 99.


O crime ocorreu em 23 de junho deste ano e foi investigado pela Delegacia do Consumidor. De acordo com o delegado Eduardo Paixão, foram quase dois meses de investigação, nos quais os policiais fizeram o rastreamento do veículo e conseguiram comprovar, por meio de câmeras de segurança, que o motorista retirou o dinheiro da bolsa do passageiro quando ele fez uma parada em um restaurante para comprar refeição.

De acordo com o depoimento prestado à polícia, o passageiro só percebeu que havia sido vítima de um furto quando chegou em casa e procurou o dinheiro na bolsa. Nas imagens obtidas pela reportagem, fica claro que segundos depois que o passageiro desce do carro, Adiel mexe nos pertences da vítima e coloca o dinheiro no bolso.

Ao delegado ,Adiel informou que estava arrependido e que furtou o dinheiro para pagar dívidas. "Ele falou que tem intenção de devolver o dinheiro para a vítima", acrescentou o delegado, que está em busca de outras possíveis vítimas do motorista. Denúncias podem ser feitas pelos telefones 9962-2731 e 3214-2264, que são os canais de atendimento da Delegacia do Consumidor, que fica na Rua Lima Bacuri, 504, Centro, anexo ao 24º DIP.

À reportagem, a empresa 99 afirmou, em nota, "que está empreendendo todos os esforços para investigar o ocorrido". Segundo a empresa, o motorista foi bloqueado preventivamente enquanto a polícia apura o caso.

Ainda segundo a nota, a empresa está buscando contato para oferecer todo o apoio possível à vítima e está disposta a colaborar com as autoridades que investigam o caso. "Em caso de emergência, o app disponibiliza um canal de atendimento exclusivo para incidentes de segurança no 0800-888-8999, que oferece auxílio imediato", ressalta a nota.
 A Crítica

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.