Últimas

Wilson Lima apresenta propostas e confirma “fim de uma era” em último debate antes das eleições

O embate entre o líder em todas as pesquisas de intenção de voto para o Governo do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e o oponente, Amazonino Mendes, marcou o início do fim de um grupo político que comanda o Amazonas  há 35 anos. O último debate entre os candidatos a governador foi realizado nesta quinta-feira (25) na TV Amazonas, afiliada da Rede Globo em Manaus.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Desde o primeiro bloco, Wilson Lima demonstrou-se preparado para discutir sobre os principais temas da administração pública e apresentar propostas para melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Comandado pelo apresentador Carlos Tramontina, Wilson Lima abriu o debate com pergunta sobre o Amazonas ter sido apontado como o estado que menos tem investido na educação em 2018. “Tá tudo tranquilo”, disse Amazonino, visivelmente abalado.

Com coragem para enfrentar umas das maiores polêmicas desta campanha, mais uma vez Wilson Lima foi enfático ao dizer que não pagará indenização às famílias dos presos mortos na rebelião do Compaj em 2017. “Tenho outras prioridades, como os investimentos para a saúde, educação e segurança. O senhor encontrou um homem honesto. Eu não sou o maior problema do estado. Se fosse outro candidato, estaria sofrendo os mesmos ataques. Vamos deixar claro quem está falando a verdade”, disse Wilson Lima.

Ainda no primeiro bloco, Wilson questionou sobre o Amazonas ser apontado como o segundo estado com o maior número de pessoas vivendo na linha da pobreza. Amazonino não soube responder. O candidato do PSC pontuou sobre a quantidade de homicídios e desempenho ruim no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica.


A cada ofensa, Wilson Lima apresentou propostas e confirmou a confiança que vem recebendo nas ruas. “As pesquisas indicam que a população quer o novo e teremos o apoio de todas as classes sociais. É preciso que a gente entenda que população deu um recado muito claro no primeiro turno. A gente tem que acabar com essa história de que rouba, mas faz”.


Desenvolvimento no interior


Sobre o desenvolvimento no interior, Wilson Lima apresentou propostas concretas, como a realização de concurso público para o Idam, a valorização do pequeno produtor, com acesso ao crédito, e o bom uso do fundo de desenvolvimento do turismo do interior, além de trabalhar para identificar os potenciais de cada município. 

Pólo Industrial de Manaus

Wilson Lima fez críticas ao atual governo e disse que um dos problemas “é que o estado do Amazonas só reage quando o caldo já está entornado. Precisamos nos antecipar, atrair empresas para vir para o Amazonas com autonomia”.

BR-319

Wilson Lima questionou sobre a viabilidade econômica de Amazonino prometer que pavimentará a BR319 em quatro anos. O candidato à reeleição confundiu valores significativos de uma obra realizada por ele, “50 milhões ou 50 mil, não lembro. Em quatro anos, eu faço isso", disse.

Wilson explicou que “não adianta fazer promessas que não podem ser cumpridas. São 40 unidades de conservação de responsabilidade dos governos federal e estadual. Precisamos unir forças com governos da região, bancada federal e senado”, ponderou.

Fake news


Ao ser questionado sobre fake news, Wilson Lima falou sobre os ataques que vem sofrendo ao longo da campanha. “O senhor usa a máquina pública, usa a polícia militar para fazer armações, o candidato usou um ator tão fajuto que nem em Codajás eu estive, um roteiro covarde e vil contra mim. Meu oponente abriu mão de fazer campanha para tentar destruir minha imagem. Os problemas do Amazonas continuariam se fosse outro candidato, o senhor abriu mão de ser governador para abrir uma fábrica de falsas notícias”.

Saúde

Os compromissos de Wilson Lima para a saúde são diminuir o tempo de espera para consultas e exames por meio de mutirões, aumentar o número de UTIs aéreas, trabalhar a carreira médica de modo que o profissional fique no interior, dando condições para atender aquele cidadão que mais precisa.

Educação

Para a educação, Wilson Lima defendeu a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) como um centro de excelência, pois atualmente a universidade  não possui cursos, nem laboratórios adequados. “É necessário consultar a comunidade acadêmica sobre o que é prioridade”, disse Wilson, acrescentando que o estado precisa preparar os alunos do ensino médio para o ensino superior e para o mercado de trabalho, por meio da ampliação dos cursos do Cetam. 

Para isso, de acordo com Wilson Lima, é necessário conhecer de perto as vocações econômicas de cada região e a partir daí oferecer oportunidades.

Segurança

Wilson Lima questionou Amazonino sobre os altos índices de homicídios, sobre a média de 10 assaltos que acontecem diariamente nos transportes públicos da capital, ao que Amazonino respondeu: “eu prefiro pagar 5 milhões de reais para a maior autoridade de segurança do mundo. A resposta não é para amanhã”, disse referindo-se ao contrato com Rudolph Giuliani, ex-prefeito de Nova York.

Wilson Lima, por sua vez, preferiu defender o policial militar e civil do Amazonas. “Duvido que algum estado tenha inveja dos índices de segurança do nosso estado. Eu não vejo melhor especialista do que nosso policial militar, do que nosso policial civil. Nós temos uma das melhores policias, o que falta é estrutura para esse profissional. Eles sim merecem nosso respeito”.

Agradecimentos

Nas considerações finais, Wilson Lima agradeceu a Deus, a família, ao candidato a vice, Carlos Almeida, ao deputado estadual, Luiz Castro e a todos os apoiadores que o ajudaram a combater as fake news.

“Eles querem te enganar, mas o tempo é mais poderoso do que todos nós. O povo não aguenta mais, o Brasil quer o novo e eu quero ser o novo para ser o melhor para a vida de todos. Não temos acordo com a velha política. Do lado de lá tem muito dinheiro e influência, mas eu estou aqui por você. Não tive apoio de nenhuma máquina poderosa e a vontade do povo tem ser respeitada. A mudança é 20”.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.