Últimas

Em Novo Airão posto de saúde no AM fica sem atendimento após saída de cubanos do Mais Médicos


Desde o dia 20 de novembro, quem procurou atendimento médico em um posto de saúde de Novo Airão, município a 115 km de Manaus, encontrou a sala vazia. O atendimento era feito por médicos cubanos, que deixaram o serviço após saída dos profissionais do Programa "Mais Médicos", do Governo Federal.

A saída dos médicos foi anunciada pelo governo de Cuba no dia 14 de novembro, por conta de "referências diretas, depreciativas e ameaçadoras" feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro à presença dos médicos cubanos no Brasil. Parte deles, que atuavam na região Norte, voltou para o país de origem no dia 23.

Segundo a direção da unidade, em média 40 pessoas chegavam da zona rural para receber atendimento no posto de saúde. Agora, quem precisa de médico no local passa por triagem e é encaminhado para outra unidade.

"Se, caso for necessário, a gente encaminha [a pessoa] para outra unidade ou hospital. Os atendimentos básicos da unidade, como curativos, injeções, inalação e receitas, todos os procedimentos de acompanhamento estamos fazendo aqui na unidade", afirma a enfermeira.

O aposentado Ribamar Gonçalves, que mora na comunidade Membeca, reclama da saída dos médicos e fala sobre a baixa demanda de brasileiros para ocupar a vaga.

"[Cubanos] Vão fazer falta. Para mim e muita gente. O brasileiro, o amazonense, ele não quer entrar entrar no mato, para ir para beira de lago e rio", comenta.

O médico cubano Alejandro Gonzales, que atendia no posto de saúde, fala da tristeza de ter que deixar o programa.

"Estou triste porque a população vai ficar sem atendimento. É muito triste ver uma pessoa que não têm um médico, não tem uma pessoa que acompanha ela".

Mais de 290 baixas no Amazonas

Segundo o Ministério da Saúde, com a saída dos médicos, o Amazonas perde mais de 290 profissionais atuantes. Novos médicos foram convocados e, em menos de uma semana, 96% das mais de 8 mil vagas deixadas pelos cubanos foram preenchidas, segundo o MS.

Os novos médicos do programa estão sendo orientados a ir para os locais de trabalho imediatamente. Quem não se apresentar até o dia 14 de dezembro, será eliminado. Se não houve preenchimento total das vagas, mais um edital deve ser lançado também para médicos brasileiros formados no exterior.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, até o final de dezembro, todas as vagas antes ocupadas por médicos cubanos estarão preenchidas.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.