ÚLTIMAS NOTICIAS

Acusados de ameaçar alunos de escola estadual, em rede social é capturado pela polícia civil

A Polícia Civil do Amazonas, por meio do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), apreendeu nesta segunda-feira (18/03) dois jovens acusados de fazer ameaças, em uma rede social, contra alunos da Escola Estadual Antônio da Encarnação, no bairro Lírio do Vale, zona oeste.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Os acusados têm idade de 24 e 18 anos e são alunos do 2º e 3º ano do Ensino Médio da unidade de ensino. No sábado (16/03), o jovem de 18 anos fez uma foto com parte do rosto coberto com um lenço preto, e o segundo acusado postou a imagem em uma rede social, apagando meia hora depois, quando a postagem já havia sido compartilhada por outras pessoas.

A foto foi enviada a um grupo de mensagens instantâneas da escola informando que os dois planejavam um ataque aos alunos da unidade, em alusão ao atentado ocorrido em uma escola estadual na cidade de Suzano, São Paulo, na última semana. Ao tomar conhecimento do fato, a pedagoga da escola procurou a polícia para fazer um boletim de ocorrência.

Após investigação, a polícia chegou até a dupla, que foi detida no final da manhã de hoje e conduzida até a sede do departamento, onde prestaram depoimento e assinaram um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) pelos crimes de incitação e apologia ao crime. Após os esclarecimentos, eles foram liberados e responderão o processo em liberdade.

De acordo com o diretor do DRCO, delegado Sinval Barroso, os dois jovens relataram que a postagem não passou de uma brincadeira. Ele fez um alerta para a realização desse tipo de mensagem.

“Esse tipo de ação não é brincadeira. Isso é uma atitude criminosa, prevista no Código Penal, e eles responderão na Justiça. As pessoas não estão respeitando o momento de luto que o país vive e se aproveitam do que aconteceu tendo esse tipo de conduta”.

O delegado destacou, também, que todo o Sistema de Segurança Pública do Estado está acompanhando de perto todas as situações envolvendo esse tipo de ameaça, por entender que se trata do assunto em evidência no momento, o que requer atenção redobrada.

Participação da família – A pedagoga da escola, Ryanne Oliveira, afirmou que os dois alunos não possuem histórico de violência ou indisciplina. Segundo ela, um deles, inclusive, foi eleito aluno líder em um projeto de disciplina da unidade e a atitude causou suspeita.

“Infelizmente esses alunos foram levados por essa onda em que vivemos no nosso contexto social, mas são alunos que não tinham nenhuma conduta que os desabonasse na escola. Nós lamentamos, mas não sabíamos até que ponto isso era apenas uma brincadeira, ou não”.

Tanto a pedagoga, quando o delegado, destacaram a importância das famílias estarem atentas ao comportamento dos adolescentes e jovens e de estabeleceram um diálogo, orientando sobre suas atividades dentro e fora das redes sociais.

Reunião – Em reunião no sábado (16/03) entre o secretário executivo da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas, coronel Anézio Paiva, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Ayrton Norte, o secretário de Estado de Educação, Luiz Castro, e representantes da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) foram traçadas estratégias que englobam tanto as forças de segurança nas áreas de unidades de ensino e o trabalho pedagógico de assistentes sociais e psicólogas da rede estadual.

O secretário executivo, coronel Anézio Paiva, destacou as ferramentas de inteligência que passam desde o acompanhamento de redes sociais quanto ao monitoramento de câmeras próximas às escolas para verificar possíveis ameaças. Ele também destacou que é possível adequar o aplicativo Aviso Polícia – que é um botão de pânico – à realidade escolar e divulgar o 181, disque-denúncia da Segurança Pública, para os estudantes e gestores. “Vamos interagir para criarmos soluções para uma escola segura e cidadã”.

O comandante da Polícia Militar (PM), coronel Ayrton Norte, destacou que, durante os próximos dias, o programa Ronda Escolar será reforçado. “Estamos em um momento delicado que necessita de cuidado e reforço de algumas ações. E é isso que vamos fazer e estamos de acordo com a Seduc-AM”, afirmou.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.