Breaking News

Em visita ao Platão Araújo, governador Wilson Lima constata melhoria no abastecimento


O governador Wilson Lima e o vice-governador e secretário estadual de saúde, Carlos Almeida, estiveram no Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Dr. Aristóteles Platão Bezerra de Araújo, nesta segunda-feira de Carnaval (04/02). É a sexta unidade a receber a visita dos gestores durante o feriado prolongado.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

O objetivo, segundo o governador, é conferir o plano de ação montado pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam) para o período, verificar o funcionamento das unidades e o que precisa ser corrigido. Desde sexta-feira (01/03), foram visitados o HPS 28 de Agosto e o João Lúcio Machado, a maternidade Ana Braga, o Instituto da Mulher Dona Lindu e o Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Leste.

No Platão Araujo, foi constatado que o abastecimento de medicamentos, que estava crítico, alcançou 70%. Segundo a Central de Medicamentos do Amazonas (Cema), quando a atual gestão assumiu, o abastecimento das unidades de saúde variava entre 12% e 23% .

“A gente está indo conferir de perto quais são as necessidades, conversando com os diretores das unidades hospitalares. Nós temos que melhorar a saúde. Esse é um compromisso que nós temos com o povo e é assim que vai ser. Eu não vou sossegar enquanto não tiver essa situação da saúde melhorada”, afirmou o governador.

Wilson Lima enfatizou que o governo planeja novos programas e projetos para lançar a partir de março e abril. “Nos primeiros dois meses, nós apagamos incêndios. Tivemos crise na saúde, temos essa situação do H1N1, que nós estamos monitorando, junto com o Ministério da Saúde e a prefeitura e com outros órgãos de controle, a partir de alguns problemas que a gente enfrentou no início e que a gente já começa a resolver. Agora, a gente pode começar a vislumbrar outras possibilidades”.

Segundo o vice-governador e secretário de saúde, diante do surto inicial de H1N1, o governo do Estado tem se preocupado com o abastecimento de medicamentos das unidades. “Nós não podemos ficar em casa aguardando. Temos que nos dedicar de coração a essa situação”, disse.

A diretora do Platão Araújo, Eliane Nascimento, informou que o número de atendimento na unidade funcionou dentro do padrão normal durante o fim de semana de Carnaval. Ela disse que são realizados, em média, cerca de 670 atendimentos/dia, sendo que destes 360 são adultos e 115 infantis.

Atendimentos no Carnaval – No final de semana foram feitos 11 mil atendimentos na urgência e emergência, entre leves, moderados e graves.

De acordo com a gerente de urgência e emergência da Susam, Nayara Maksoud, o maior número de atendimento no sábado foi de ambulatório com situações leves e moderadas, com algumas emergências clínicas. Já no domingo houve um maior número de episódios de traumas ocasionados por violência e acidentes de trânsito, assim como um movimento elevado de pacientes com Síndrome Gripal Aguda, principalmente nos três hospitais infantis.

“Os atendimentos das unidades de saúde no Carnaval até no dia de domingo não fugiram da rotina. Não houve um grande aumento no número, mas no sábado foi voltado para as emergências clínicas e no domingo um número maior de pacientes em situações graves”, ressaltou a gerente de urgência e emergência.

O posto médico implantado no Bloco A do Sambódromo para atender as ocorrências durante os desfiles das escolas de samba, nos dias 28 de fevereiro, 1º e 2 de março teve 38 atendimentos.

O coordenador de Eventos do Carnaval pela Susam, Paulo Viana, relatou que a maioria das ocorrências no Sambódromo foram de pressão arterial, falta de ar e cefaleia. À noite de maior fluxo foi o sábado, com 26 pessoas atendidas. Quatro delas precisaram de remoção, sendo uma para o Serviço de Pronto Atendimento (SPA) do Alvorada e três para o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.