Últimas

CARNAVAL DO LACRE: SOCIALISTAS CELEBRAM MARIELLE COM DINHEIRO DO CRIME E SAMBAM SOBRE SEU CADÁVER



As chamadas são unânimes: Mangueira emociona ao homenagear Marielle Franco, a vereador socialista morta no Rio. A moça foi canonizada pela imprensa. Mulher, negra, lésbica, assassinada de forma terrível: um pacote irresistível demais, desde que seja também… socialista. E era esse o caso.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Não se enganem: ela virou santa por ser de esquerda. A esquerda radical precisa de mártires. Quando um negro gay de origem pobre como Fernando Holiday sofre tentativa de assassinato, a mídia simplesmente ignora: o jovem é um liberal, e isso não pode. Alguns até tentam culpar a vítima: quem mandou atiçar os manifestantes?!

Tudo nesse caso Marielle é abjeto demais. Não é contra a impunidade que lutam; é pelo símbolo de “resistência” socialista. Basta ver os vários comentários nas redes sociais. A impunidade é geral, afinal, e inúmeros outros casos ficam sem solução. A escolha é seletiva. Os companheiros enxergaram ali a oportunidade de uma bandeira política forte, sempre bancando a vítima. Marcelo Freixo, do partido que apoia a ditadura de Maduro na Venezuela, caiu no samba em nome da “justiça social”. É tudo uma festa!

Carlos Andreazza comentou: “Marielle foi exterminada pelo braço matador da milícia, criado para servir a bicheiros, os que conceberam a Liesa e forjaram a existência de figuras como o presidente da Mangueira, o que paga o carnavalesco badalado que criou o enredo que celebrou… Marielle”. Ele voltou ao tema em seguida: “Mangueira é a escola onde havia passagem secreta para trânsito de traficantes. Seu presidente, deputado, está preso, agente no esquema que sequestrou o Rio. A Liesa é dos bicheiros, os que usam o escritório do crime, das milícias. Esse conjunto celebrou Marielle. Emocionante”.

Fábio, “o colecionador”, também mostrou perplexidade: “A família inteira da Marielle dançando e cantando, destaques em um carro alegórico na Sapucaí. Vcs me desculpem, mas isso não é normal”. E, de fato, poucas coisas são normais quando se trata de Brasil, especialmente da esquerda brasileira.

Enquanto os socialistas defensores do tirano Maduro se esbaldavam no samba na Sapucaí, notícias não muito agradáveis para a esquerda eram ignoradas. Leandro Ruschel fez bom resumo: “Os últimos dias não foram muito agradáveis para os esquerdopatas norte-americanos. Enquanto o braço direito da Ocasio-Cortez foi pego desviando grana da campanha, o ‘feministo’ Trudeau foi acusado pela Procuradora-Geral do Canadá de impedir investigação de empresa de amigos”.

Mas quem liga para essas bobagens? Quem liga para fatos quando se tem uma narrativa estética irresistível? É carnaval! É festa na Sapucaí! É hora de mostrar a esses “fascistas” que as “minorias” estão no comando! Ainda que por minoria se entenda político de extrema-esquerda que vence eleição com voto da elite culpada. O show não pode parar…

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.