Últimas

H1N1 - Parque da Criança se torna ponto de vacinação no último dia de campanha contra a Gripe

Prefeitura de Manaus montou um ponto de vacinação contra o vírus H1N1 no Parque Cidade da Criança, bairro Aleixo, zona Centro-Sul, na tarde desta sexta-feira, 5/4. A intenção foi atender, principalmente, crianças de seis meses a menores de seis anos e grávidas que ainda não haviam recebido a dose da vacina.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A iniciativa da ação foi do Fundo Manaus Solidária, em parceria com as secretarias municipais de Saúde (Semsa) e Juventude, Esporte e Lazer (Semjel), com o objetivo de reforçar a aplicação da dose nesses grupos prioritários, mesmo com o balanço apresentado pelo prefeito Arthur Virgílio Neto de que a campanha atingiu a meta de 100% do público-alvo em 15 dias.

“Mesmo com o fim da campanha, faço um apelo às mães, pais ou responsáveis para que levem suas crianças que ainda não foram imunizadas aos postos de vacinação mantidos pela Prefeitura de Manaus e faço um apelo às gravidas também para que não deixem de buscar a imunização. Isso é fundamental para manter a saúde das nossas crianças, para garantir o futuro delas e o nosso. Vacinar é também uma forma de demonstrar amor”, disse a presidente do Fundo Manaus Solidária, primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro.

Segundo a Semsa, a vacinação continua para as grávidas porque o grupo ainda apresenta o percentual isolado abaixo do esperado (85%) e também para crianças menores de seis anos que precisam tomar a segunda dose da vacina, o que ocorrerá a partir do dia 20 de abril. “A campanha se encerra, mas sabemos que há crianças e gestantes que não receberam a vacina e é de suma importância que esses grupos procurem uma das nossas dez Unidades Básicas de Saúde (UBSs) com horário ampliado para ter essa prevenção”, alertou a chefe da divisão de imunização da Semsa, Izabel Hernandes.

Mãe de duas crianças, a universitária Samira Rodrigues conta que mesmo no último dia não podia deixar de prevenir os pequenos Benjamin Cael, de 1 ano e 6 meses, e Flavia Rodrigues, 5 anos. “Essa prevenção é fundamental para nossas crianças, inclusive, porque já vimos casos de morte de pessoas aqui na região e isso preocupa muito. Acredito que nós [pais] temos a obrigação de trazê-los para receber a imunização”, disse.

O público-alvo era formado por 455.083 pessoas, mas a campanha vacinou 463 mil, identificadas como pertencentes a esses grupos, chegando ao índice geral de 101% da meta. Agora, a vacinação será exclusiva para o público remanescente (grávidas e crianças) nas dez Unidades Básicas de Saúde (UBSs) que trabalham em horário ampliado, de segunda a sexta, de 8h às 21h, e aos sábados até o meio-dia.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.