Breaking News

Pão e circo para povo: no Amazonas é assim... você está satisfeito com “O NOVO? ”

Em recém enquete no Portal do Generoso onde foi perguntado se a cassação de Wilson Lima era inevitável, 82% afirmou que SIM! 


Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Após 100 dias de governo, Wilson Lima tem enfrentado sérias críticas e acusações severas por parte do Ministério Público de Contas, que por coincidência está nas mãos do pai do vice-governador e chefe da casa civil Carlos Almeida. 

Carlos Almeida pai, afirma que existe vários contratos suspeitos com dispensa de licitação. “VAI SAIR GENTE PRESA E ALGEMADA DESSE GOVERNO”, disse um procurador. 

Não só os supostos desvios e enriquecimento ilícito, mas, a tragédia na saúde e o não “acerto” com o sindicato dos professores, tem causado grandes prejuízos ao governo que foi o responsável pela falta de liderança na ALE / AM por um mês. Há quem diga que a cassação de Wilson Lima e seu vice seja certa” O governador tem que parar de andar em festa, beber e tomar as rédeas do governo. "Crianças sem aula, médicos e enfermeiros sem receber, falta de segurança e a saúde virou o caos”, afirmou o deputado WB. 

Hoje por volta das 14h, pais de aluno do CMPM II, foram as ruas, pedindo uma solução para a greve que traz grandes prejuízos na educação. Aproximadamente 30 dias os alunos estão a mercê, professores em greve, alunos fora da sala de aula e pais insatisfeito com o rumo que vem tomando o governo de Wilson Lima. 

O sonho do novo, tornou um grande pesadelo de muitos amazonenses que diante de toda crise que o País vem caminhando, tem que se conformar com pão e circo. 

A frase “pão e circo para o povo” foi dita há muito tempo pelo imperador romano Vespasiano, quando da construção do Grande Coliseu. Naquela época a escravidão na zona rural fez com que vários camponeses perdessem o emprego e migrassem para a cidade grande. 

O crescimento urbano acabou gerando problemas sociais e o imperador, com medo que a população se revoltasse com a falta de emprego e exigisse melhores condições de vida, acabou criando a política “panis et circenses”, a política do pão e circo. 

Aquele método era muito simples. Todos os dias havia lutas de gladiadores nos estádios (o mais famoso foi o Coliseu) e durante os eventos eram distribuídos alimentos (pão e trigo). O objetivo era alcançado, já que ao mesmo tempo em que a população se distraia e se alimentava também esquecia dos problemas e não pensava em se rebelar. 

O incrível é que essa frase tão antiga continua presente e atual na forma de alguns governantes fazerem política. 

Podemos observar que esses governantes procuram distrair a população com eventos, festas ou “inaugurações” fúteis que em nada contribuem para melhoria das condições de vida do cidadão. Ao invés de procurar “investir” na educação e saúde da população, bem como na geração de empregos, eles preferem simplesmente “gastar” em festas e comemorações com o propósito de distrair, evitando que o povo se conscientize da realidade. 

É claro que diversão é importante para qualquer pessoa. Contudo, ela não deve ser a prioridade nem se constituir em instrumento de manobras dos governantes. Estes devem se concentrar nas ações que realmente possam provocar mudanças na condição de vida do povo, dando-lhes oportunidades para sua evolução pessoal e social. 

Vivemos o circo de escândalos políticos, da corrupção e da impunidade e continuamos encantados e sem nenhuma reação ao vermos os imperadores modernos que se valem do discurso fácil, inútil e cheios de promessas. 

E no Amazonas o povo se diverte com o carnaval e com o Boi Bumbar, ou seja, não se tem acordo para os professores que reivindicam 15%, mas teve grana para o carnaval e algumas mixarias (e que mixarias), para a transmissão do carnaval. 

Recentemente o governo do estado liberou para o boi bumba de Parintins, um valor simbólico de 5 milhões de reais, pelo visto o entretenimento é fundamental para o povo. 

E a saúde como vai? Educação, emprego, renda e segurança pública? 

Enfim, as teorias que vieram de Roma continuam assolando a sociedade nos quatro cantos do mundo. A miséria se proliferando e o povo, ah, o povo que se lasque! 

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.