ÚLTIMAS NOTICIAS

Neymar teve aval de advogados para divulgar vídeo que o faz responder por crime virtual


Neymar teve aval de seus advogados antes de divulgar o vídeo com fotos íntimas da mulher que o acusa de estupro. A única ressalva foi para que o nome da pessoa não fosse exposto e também nenhuma imagem direta, segundo apurou o ESPN.com.br.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

ÚLTIMAS NOTÍCIAS SOBRE O CASO NEYMAR

Acontece, porém, que em alguns momentos do vídeo em que Neymar expõe a conversa é possível ver o primeiro nome da mulher e também parte de seu rosto.

A estratégia da equipe que assessora Neymar era dar uma resposta rápida à acusação de estupro, noticiada pela primeira vez no próprio sábado – o boletim de ocorrência foi registrado na sexta, dia 31 de maio, e o suposto crime, dia 15, em Paris, na França.

A equipe de Neymar entende que o desfecho do processo deve demorar e simplesmente aguardar poderia ser “devastador” para a imagem do jogador.

O vídeo publicado por Neymar no início da madrugada de domingo teve quase 20 milhões de visualizações e foi tirada do ar pelo próprio Instagram, por violação de política da rede social.

Já no domingo, a Polícia Civil do Rio de Janeiro anunciou que investigaria Neymar pela divulgação do vídeo e das imagens íntimas da mulher que o acusa. O caso está nas mãos da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI).

Com o vídeo, Neymar pode ter infringido o código 218-C do Código Penal: “Oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, vender ou expor à venda, distribuir, publicar ou divulgar, por qualquer meio - inclusive por meio de comunicação de massa ou sistema de informática ou telemática -, fotografia, vídeo ou outro registro audiovisual que contenha cena de estupro ou de estupro de vulnerável ou que faça apologia ou induza a sua prática, ou, sem o consentimento da vítima, cena de sexo, nudez ou pornografia”.

A pena prevista na legislação é de um a cinco anos de reclusão, que pode ser agravada se “o crime é praticado por agente que mantém ou tenha mantido relação íntima de afeto com a vítima ou com o fim de vingança ou humilhação.”

Na segunda, o pai de Neymar concedeu entrevista à "TV Bandeirantes" e disse que prefere “um crime de internet do que um crime de estupro”. “Neymar precisava se defender rapidamente. A gente não tinha uma escolha”, disse.

Em relação a acusação de estupro, a investigação contra Neymar será feita em São Paulo, onde a seleção brasileira faz dois jogos na Copa América, nos dias 14 (no Morumbi, contra a Bolívia) e 22 de junho (na Arena Corinthians, diante do Peru).

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.