ÚLTIMAS NOTICIAS

Workshop aborda manifestações culturais de todo o país

Com a temática “Socialização da aprendizagem através das manifestações culturais”, a Prefeitura de Manaus realizou na tarde desta terça-feira, 30/7, o 5° Workshop de Práticas pedagógicas do Centro Municipal de Escolarização do Adulto e Pessoa Idosa (Cemeapi), coordenado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed). A atividade envolveu aproximadamente 400 pessoas, entre professores, alunos e coordenadores, no Centro Estadual de Convivência do Idoso (Ceci), no bairro Aparecida, zona Sul.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A importância do programa para redução do analfabetismo em Manaus foi destacada pela subsecretaria de Gestão de Educacional da Semed, Euzeni Araújo.

“O resultado do número de pessoas alfabetizadas no município de Manaus cresceu consideravelmente e essa redução do analfabetismo na nossa capital se deve também ao trabalho realizado nesse programa, de acordo com as orientações do prefeito Arthur Virgílio Neto. Por isso, todas as atividades do Cemeapi, professores, instituições parceiras e demais envolvidos são tão importantes”, destacou a subsecretaria.

Para a diretora do Cemeapi, Clélia Matos, a ideia da 5ª edição do evento foi mais abrangente em relação à anterior, e buscou valorizar ainda mais as manifestações culturais de todo o país.
“No ano passado, a ideia foi falar sobre as manifestações culturais do nosso Estado. Neste ano, decidimos ampliar isso. Em 2019, a proposta foi valorizar as diversas manifestações culturais do nosso povo brasileiro”, explicou.

O workshop foi trabalhado por meio de apresentações e de banners. No palco principal, os alunos mostraram as particularidades das culturas populares brasileiras dançando e entretendo o público que prestigiava a ação. Nas dependências externas do Ceci, as curiosidades dos Estados brasileiros foram expostas em banners. Em cada estande, foram expostas manifestações típicas da região trabalhada.

Da região Norte foi destacada, por exemplo, o Festival de Parintins; a ciranda; o carimbó - oriundo do Pará; a festa do Divino Espírito Santo; e do Círio de Nazaré. Da região Nordeste foram retratadas a festa de Iemanjá, o Carnaval, entre outros. A cavalhada, a dança folclórica do cururu e as festas de São Benedito foram as manifestações folclóricas trabalhadas da região Centro-Oeste, enquanto da região Sudeste foram apresentadas as danças de velhos, as festas de peão de boiadeiro e o samba de lenço. Já da região Sul foram expostas as festas da Uva, da Cerveja e de Fitas. 

Máscaras, indumentárias e adereços típicos confeccionados pelos próprios alunos em sala de aula, também integraram a exposição. 

Para a aluna Ana Maria dos Santos, que estuda no Centro de Convivência do Parque 10 de Novembro, zona Centro-Sul, o workshop trouxe muito conhecimento sobre a cultura popular de todo o país. “Achei bem organizado, bem variado, bem participativo, enfim, muito legal", declarou.

O aposentado Valdir Palheta, de 74 anos, foi até o local para prestigiar o evento e gostou do que viu. “Esse evento simboliza uma forma de respeito e de cuidado com a saúde mental e emocional de pessoas da terceira idade”, destacou.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.