ÚLTIMAS NOTICIAS

SAÚDE - Sistema de informação utilizado em Manaus no combate ao sarampo será apresentado em São Paulo


O Sistema de Informação Track da Prefeitura de Manaus, criado por profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) para auxiliar no combate ao sarampo em Manaus em 2018, será apresentado para a equipe técnica da secretaria de saúde do governo de São Paulo, Estado que registra surto da doença.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A apresentação vai acontecer entre os dias 12 e 15 de agosto e foi organizada a partir de convite da Organização Pan Americana de Saúde (OPAS), que providenciará as passagens e diárias para profissionais dos departamentos de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae) e de Tecnologia da Informação (DTI), que atuaram na construção do sistema.

De acordo com a diretora do Devae/Semsa, enfermeira Marinélia Ferreira, o convite da OPAS foi feito solicitando o apoio dos profissionais da Semsa no repasse de informações sobre a experiência no combate ao sarampo no município de Manaus, que se destacou na análise e qualificação de informações durante o surto da doença, resultado da criação e utilização do Sistema de Informação Track.

“A OPAS acompanhou as ações da Prefeitura de Manaus no combate ao surto do sarampo. E o Track foi uma das estratégias utilizadas, como um sistema de captação de dados do paciente para o monitoramento em tempo real de todos os casos notificados, permitindo uma maior agilidade na tomada de decisões para o controle do sarampo”, explica Marinélia, lembrando que o surto de sarampo foi encerrado em Manaus no início de junho, após 90 dias sem registro de casos confirmados da doença.

A gerente do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS/Semsa), enfermeira Eliane Campos, esclarece que o Track é um sistema em que é possível inserir as mesmas informações da ficha de notificação do Sistema Nacional de Informação de Agravos de Notificação (Sinan/Ministério da Saúde), utilizado em todo o Brasil, identificando o nome do paciente, a localização geográfica da residência, sexo, idade e escolaridade do paciente, e dados sobre o início dos sintomas e histórico vacinal, entre outras informações.

“A maior vantagem do Track em relação ao Sinan é o fato de funcionar de forma on-line, possibilitando maior rapidez na consolidação das informações, o que se mostrou essencial em situação de surto. A coleta e consolidação das informações dos casos suspeitos de forma online tornou possível reduzir o tempo de resposta dos serviços de saúde na execução das ações de investigação epidemiológica, bloqueio vacinal, monitoramento de contatos sociais e familiares dos pacientes, facilitando as ações de prevenção e controle da doença”, afirmou Eliane Campos.

Em São Paulo, a Semsa será representada pela enfermeira Eliane Campos, o estatístico Marcus Antônio Pereira Rodrigues e o assistente administrativo Nilson Ribeiro Picanço, servidores do DEVAE, além de Rogério Carminé, servidor do Departamento de Tecnologia da Informação (DTI).

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.