ÚLTIMAS NOTICIAS

Prefeito ministra palestra magna em 1º Fórum de Cidades Amazônicas

“Durante dois dias seremos a capital da Amazônia para nortear grandes líderes políticos de como unir desenvolvimento urbano sustentável a uma preservação real da Floresta Amazônica”, defende o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, que fará a palestra magna do 1º Fórum de Cidades Amazônicas que acontece dias 5 e 6/9, no Pavilhão Princesa Isabel, no Centro Histórico de Manaus, promovido com apoio da Fundação Konrad Adenaeur e Iclei América do Sul.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Com o tema “Desenvolvimento nas Cidades Amazônicas”, o prefeito falará sobre os desafios e perspectivas de boas práticas de uma gestão sustentável para líderes políticos de cidades que fazem parte da Amazônia Legal. “Nesta quinta-feira, 5 de setembro, é o Dia da Amazônia e teremos em Manaus representantes dos municípios que compõem esse importante bioma para fazermos uma bela reunião internacional e produzir um manifesto em defesa da Amazônia”, ressaltou Virgílio.

Desde 2016, as ações de arborização na cidade de Manaus, desenvolvidas por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), conseguiram plantar 34,7 mil mudas de árvores - um recorde para o país - que estão em crescimento, distribuídas em 114 logradouros públicos. Entre as espécies de árvores plantadas, está sendo dada prioridade às florestais nativas, como o pau-pretinho e a jutairana (ideais para sombreamento e com raízes que não causam danos às calçadas e pavimento das vias), o ipê e a pata-de-vaca.

Além disso, Manaus é uma cidade que tem áreas de florestas preservadas e fragmentos verdes no meio da cidade, que contribuem para a prestação dos serviços ambientais à área urbana. Pelo menos 4,75% do território de Manaus correspondem a áreas protegidas, geridas pela Semmas.

As inscrições para o evento foram um sucesso, encerrando ao meio-dia desta terça-feira, 3/9. A organização do evento informa que as vagas limitadas foram preenchidas dois dias após a abertura do processo de inscrição, com um total de 192 inscritos.

Programação

O fórum vai contar ainda com painéis sobre economia, desenvolvimento urbano, sustentabilidade da floresta e cooperação regional descentralizada. O principal intuito do evento é elaborar um “Manifesto de Cidades Amazônicas”, como manual de responsabilidade sustentável, às vésperas da 25ª Conferência Mundial do Clima, a COP 25, que acontece em dezembro deste ano, na cidade de Santiago do Chile.

É preciso se pensar de forma atualizada a biodiversidade, esclarece Ismael Nobre, um dos integrantes dos painéis que acontecerão no fórum. “Com o uso da tecnologia da quarta Revolução Industrial é possível traduzir o valor da natureza em riqueza. É possível hoje produzir matérias permitindo que a floresta permaneça em pé, a partir de bioindústrias distribuídas em territórios gerando valor, desde a floresta até grandes cidades da Amazônia”, destaca o especialista em Desenvolvimento Sustentável e Manejo de Áreas Protegidas.

O evento reunirá, ainda, representantes de organizações nacionais e internacionais, a exemplo da Embaixada da Noruega e do governo da Alemanha. O “Cidades Amazônicas” vai possibilitar o intercâmbio e conexões de iniciativas das principais capitais do bioma amazônico, debatendo os direcionamentos de urbanização da região, os impactos da revolução industrial sustentável, a soberania territorial e análise de cases de instituições que exercem o desenvolvimento de maneira inteligente.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.