ÚLTIMAS NOTICIAS

Dia mundial da Psoríase: especialista alerta que doença não é contagiosa

Cerca de 125 milhões de pessoas no mundo convivem com a doença e podem controlar os sintomas para ter uma vida normal

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A Psoríase é uma doença crônica, sistêmica, autoimune e não contagiosa. A doença afeta cerca de 3% da população mundial, isto é, 125 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo 5 milhões apenas no Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Com o objetivo de combater o preconceito e melhorar a qualidade de vida das pessoas portadoras da doença, no dia 29 de outubro é celebrado o Dia Mundial de Conscientização sobre a Psoríase.

Segundo a dermatologista do Hapvida Saúde, Lívia Lima, a psoríase se manifesta, predominantemente, por lesões arredondadas, avermelhadas e descamativas na pele, que geralmente aparecem no couro cabeludo, mãos, pés, joelhos, cotovelos podendo atingir todo o corpo.

Sintomas

A especialista esclarece que as formas como a enfermidade se apresenta variam de acordo com cada paciente, e podem incluir:

• Manchas vermelhas com escamas secas esbranquiçadas ou prateadas;

• Pequenas manchas brancas ou escuras residuais pós lesões;

• Pele ressecada e rachada; às vezes, com sangramento;

• Descamação no couro cabeludo;

• Coceira, queimação e dor;

• Unhas grossas, sulcadas, descoladas e com depressões puntiformes;

• Inchaço e rigidez nas articulações.

Entre as principais causas, além da genética, outros fatores estão envolvidos no aparecimento e evolução da doença. Fatores psicológicos, estresse, exposição ao frio, uso de certos medicamentos, ingestão alcoólica e tabagismo pioram o quadro, afirma a médica do Hapvida, Lívia Lima.

Tratamento

Embora não tenha cura, a Psoríase tem tratamento. De acordo com a dermatologista, devido fatores indeterminados não há como prevenir a doença, embora seja possível controlar a reincidência.

Casos leves e moderados (cerca de 80%) podem ser controlados com o uso de medicação local, hidratação da pele e exposição ao sol. Assim como, fototerapia que seria banhos de luz ultravioleta B em clínicas especializadas e sob rigorosa orientação médica.

Tenha em mente que, na maioria dos casos, o tratamento se divide em duas etapas: supressão das lesões e manutenção da pele sem lesões. Mesmo ao alcançar a segunda etapa, é importante visitar o dermatologista periodicamente para que sejam feitos possíveis ajustes que mantenham a melhor qualidade de vida possível e o risco de recidiva seja reduzido.

Orientações para lidar com a Psoríase:

- Hidrate muito bem a pele, para evitar seu ressecamento excessivo que favorece a possibilidade de desenvolver lesões;

- Exponha-se de forma moderada ao sol, em torno de 10 min, aplicando protetor solar no rosto. O banho de sol é estimulado para amenizar sintomas da doença;

- Evite a ingestão de bebidas alcoólicas e consumo de cigarros;

- O estresse tem papel importante no aparecimento das lesões. Como não é uma tarefa fácil, procure ajuda de um profissional se considerar necessário;

- Pratique exercício físico diariamente, pois ajuda a reduzir o estresse e manter o peso adequado;

- Não fuja de encontros sociais e de lazer por causa das lesões. Psoríase não é contagiosa e, se você se afastar de tudo e de todos, pode comprometer o estado emocional e aumentar o problema;

- Visite regularmente o dermatologista e siga as orientações. Isso o ajudará a controlar as crises.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.