ÚLTIMAS NOTICIAS

salário de dezembro do servidor será pago somente em janeiro de 2020

“Um presente de grego para o servidor público do Amazonas”. Foi desta forma que o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) criticou o governador do Amazonas, Wilson Lima, após a divulgação do calendário de pagamento do 13º salário para os servidores estaduais, em coletiva, nesta sexta-feira (11). De acordo com o cronograma, o benefício será pago em duas parcelas nos meses de novembro e dezembro, enquanto que os salários de novembro serão pagos dias 3 e 4 de dezembro e os de dezembro passarão para 2020, dias 3 e 4 de janeiro. Para o parlamentar, a medida é um verdadeiro calote para o funcionalismo público e a economia do Estado.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

O anúncio do Executivo acontece um dia depois da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) aprovar, por 18 votos a favor e um contra, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 12/2019 que tira R$ 300 milhões da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) para o pagamento do décimo aos servidores estaduais. Único que votou contrário à PEC, Wilker ponderou em plenário que a gestão precisaria dialogar e encontrar outras maneiras para honrar o 13º, como realinhar os contratos do governo em 10%, algo que vislumbraria caixa não somente para este ano, mas para os próximos três anos de gestão. 

“É visível que nem de economia doméstica o Governador domina. O salário de novembro não aguenta chegar até o Natal. O servidor público vai ficar sem nenhum centavo no bolso para passar suas festas de final de ano. O salário de novembro morre em novembro e o de dezembro, que os servidores receberiam normalmente, daria para virar o ano. O governo está dando um verdadeiro presente de grego aos servidores públicos do nosso Estado”, lamentou o deputado.

O Líder da Minoria ressaltou, ainda, que a mudança na forma de pagamento do décimo irá afetar a economia do Estado e consequentemente o comércio, podendo gerar desemprego e instabilidade nas vendas de fim de ano.

“Com essa notícia, muitos vão deixar de ter seus empregos porque o comércio não vai contratar o temporário, já que o servidor não terá dinheiro para as compras. O comércio vai recuar e não vai contratar pais de família porque o servidor não terá seu salário no final do ano. É um calote do atual governo”, explica Barreto.

Por fim, Wilker afirma que alertou sobre o atraso no décimo terceiro na tribuna da Assembleia desde o início do ano, mas que a Casa não se atentou para o assunto.

“Vergonhosa a postura de um governo que não controla as suas despesas. Quero ser solidário ao servidor público, pois eu vim alertando durante o ano todo que o governo iria perder o controle das contas. A Assembleia e os órgãos de controle não podem permitir que uma pessoa e meia dúzia da equipe de Wilson façam esse estrago com a vida do povo do Amazonas”, concluiu Wilker.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.