ÚLTIMAS NOTICIAS

Prefeitura realiza evento 'Vitrine Alfaletrando' para alunos do EJA

Para socializar as metodologias e experiências de alfabetização e letramento na Educação de Jovens e Adultos (EJA), a Prefeitura de Manaus realizou na noite desta quarta-feira, 16/10, a “Vitrine Alfaletrando”. O evento, que aconteceu na Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM), no Adrianópolis, na zona Centro-Sul, foi voltado para professores que atendem alunos do 1º segmento, do 1º ao 5º ano do ensino regular.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Organizada pela Secretaria Municipal de Educação (Semed), por meio da
Gerência de Educação de Jovens e Adultos (GEJA), em parceria com as Divisões Distritais Zonais (DDZs), a ação teve como objetivo integrar o estudante à leitura, escrita, no sentido de garantir o letramento, a inclusão social e o desenvolvimento pessoal, além de torná-los capazes de associar a aprendizagem formal e a vivência diária.

A “Vitrine Alfaletrando” subsidia o fazer pedagógico dos professores, por meio da construção de ferramentas teórica e metodológicas que contemplam experiências educativas voltadas para jovens, adultos e idosos. 

A subsecretária de Gestão Educacional da Semed, Euzeni Araújo, participou da exposição e falou do compromisso da Prefeitura de Manaus com a educação de jovens e adultos.

“A Semed trabalha toda a modalidade do ensino fundamental e dentro dela existe a educação de jovens e adultos, do 1º ao 9º ano para pessoas que por algum motivo não puderam estudar. Oferecemos também a Escolarização do Adulto e Pessoa Idosa (Cemeapi), que atende pessoas com mais de 30 anos, e ainda gerenciamos o Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem Urbano). E hoje as escolas estão mostrando os trabalhos produzidos com os alunos, desenvolvido nas oficinas, que deixaram as aulas mais dinâmicas e com isso diminuíram o abandono escolar”, comentou Euzeni. 

Em 2019, o “Alfaletrando” realizou 58 oficinas e contou com a participação de 175 docentes do 1º segmento de 50 escolas municipais de ensino. Nesses encontros, foram construídos jogos educativos para serem utilizados como ferramentas de aprendizagem de aproximadamente 3.975 estudantes da EJA. 

“Resolvemos criar as oficinas de acordo com a proposta pedagógica da EJA, onde cada professor cria seu material, deixando as aulas mais atrativas”, disse a gerente da Educação de Jovens e Adultos, Alina Bindá. 

PROJETO

Durante o encontro, foi apresentada a logomarca vencedora do “Concurso de logomarca para o projeto metodologias para alfabetizar letrando na EJA 2019” e a premiação da escola municipal Agenor Ferreira Lima, que fica no Zumbi do Palmares, zona Leste de Manaus, que ganhou o certame, assim como a exposição dos projetos realizados pelas escolas. 

A professora, Joiciane Batista, da escola municipal Agenor Nascimento, no Parque São Pedro, zona Oeste, desenvolveu o projeto de mapas, com destaque para as regiões brasileiras. Para ela, as oficinas foram de suma importância no desenvolvimento e na motivação para os professores e também para os alunos.

“Essas oficinas motivaram tanto o professor quanto os alunos, porque foi a partir desses encontros que nós levamos atividades inovadoras para desenvolver em sala de aula. No projeto que desenvolvemos, trabalhamos o mapa com as regiões brasileiras, destacando a diferença de cada uma, como clima, alimentação, costumes e isso foi bem entendido por eles (alunos)”, explicou a professora.

A pedagoga, Djanise Braga, da escola Municipal Carolina Perolina Raimunda Almeida, São José 1, zona Leste de Manaus, também falou sobre a ação. “É exatamente disso que os professores precisam, de oficinas que façam a mudança em sala de aula, com confecção de materiais produzidos por alunos e professores. Hoje é a culminância de todo os projetos criados e que fizeram a diferença no ensino aprendizagem dos adultos”, pontuou.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.