ÚLTIMAS NOTICIAS

URGENTE: Deputados são impedidos de fiscalizar Pronto Socorro da Zona Leste, e agora quem poderá nos ajudar?

O governador Wilson Lima (PSC) e o Secretário de Estado de Saúde (Susam) impediram os deputados Dermilson Chagas (PP) e Wilker Barreto (Podemos) de fiscalizaram o Hospital e Pronto Socorro Dr. João Lúcio Pereira Machado, proibindo de adentrarem nos setores da unidade hospitalar pública do estado na manhã desta segunda feira (02). Como representante do povo, o parlamentar tem duas atribuições principais, estabelecidas na Constituição Federal: legislar e fiscalizar. 

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Dermilson e Wilker que estavam acompanhados dos representantes do Sindicato dos Médicos chegaram ao hospital por volta das 10h30. Logo em seguida, foram coagidos por seguranças a se dirigirem direto para sala da diretoria onde foram informados que só seriam autorizados pelo secretário da Susam. Após aguardarem por mais de 40 minutos, receberam a informação de Tobias que estava ao lado de Wilson Lima a proibição dos deputados de atuarem dentro do João Lúcio. Eles ainda informaram que só seriam autorizados se um ofício fosse encaminhado para Susam solicitando a fiscalização. 

Indignado com a situação, Dermilson afirmou que a atitude do governador e do secretário só confirma e reforça o caos instaurado no hospital. “O que o governador quer esconder de nós é o lado obscuro da saúde. Local onde existe dor, sofrimento e morte. O que o gestor como novo poderia dizer para sociedade na saúde? Simples, ser transparente, deixarem saber da realidade e buscar uma solução, esse é o papel e não proibir os deputados de fiscalizarem”, questionou. 

Já o deputado Wilker, disse que irá buscar apoio da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) para solicitar força policial para garantir a realização das fiscalizações nas unidades de saúde. 

Hospital

Atualmente o hospital João Lúcio precisa de R$ 3 milhões para reforma das salas de politrauma, centros cirúrgicos e Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) que hoje é o principal problema, além da falta de medicamentos e insumos. “Somente nesse mês de novembro o governo do Amazonas arrecadou R$ 2,3 bilhões. E esse valor não reflete na saúde, praticamente em nada. Lamentável a situação atual da nossa saúde pública, pessoas morrendo e o governo em vez de trabalhar prefere impedir os deputados de trabalharem”, disse Dermilson.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.