ÚLTIMAS NOTICIAS

Senadores usam redes sociais para fazer alertas e recomendações sobre pandemia

Preocupados com a pandemia de coronavírus, senadores usaram as redes sociais, como o Twitter, nesta quinta-feira (19) para sugerir à população uma série de medidas que amenizem os impactos da covid-19.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Alguns fizeram campanha para incentivar a doação de sangue, pois os bancos de sangue tiveram uma queda de cerca de 30% no número de doadores. Foi o caso de Major Olimpio (PSL-SP), que usou suas redes sociais para pedir às pessoas que procurem os postos de coleta para fazer doações de sangue. Ele sugeriu que policiais e bombeiros militares façam isso para dar o exemplo.

Já Paulo Paim (PT-RS) fez um apelo para que as pessoas permaneçam em suas casas, evitando sair às ruas e ir a locais de grande circulação. Ele salientou que são medidas importantes para evitar o contágio e a disseminação do vírus. A mesma preocupação foi compartilhada pelo senador Telmário Mota (Pros-RR).

Alvaro Dias (Podemos-PR) observou que o momento econômico é frágil e atinge a todos, especialmente os pequenos comerciantes varejistas, que não dispõem de capital de giro suficiente para se manter por muito tempo. Ele pediu que as pessoas apoiassem o comércio local, comprando o que precisam; assim, concluiu, será possível amenizar os impactos da crise e, “cuidando uns dos outros, vamos superar mais essa”. 

Fabiano Contarato (Rede-ES) ressaltou as várias medidas que estão sendo adotadas pelo Executivo e pelo Legislativo para amenizar os impactos da pandemia. Uma das iniciativas citadas pelo senador é a MP 925/2020, medida provisória de socorro à aviação civil, que foi editada pelo governo nesta quinta-feira (19) e será analisada pelo Congresso Nacional.

Contarato defendeu também ações em outras áreas, principalmente para o atendimento da população menos favorecida. Ele destacou que algumas medidas de apoio aos trabalhadores informais já foram tomadas. Também lembrou da antecipação do 13º salário para pensionistas do INSS.

Mara Gabrilli (PSDB-SP) afirmou que é importante seguir as recomendações das autoridades de manter o isolamento das pessoas. Mas ela fez uma ressalva: há grupos sociais que não podem manter o distanciamento social e o autoisolamento, pois dependem de outras pessoas para viver — como é o caso de pessoas com deficiência. Mara elaborou e divulgou uma cartilha virtual para orientar familiares e cuidadores de pessoas com deficiência em meio à pandemia da covid-19.

Lasier Martins (Podemos-RS) defendeu o uso das redes sociais para que as pessoas mantenham contato com os mais próximos — como amigos e familiares —. Ele manifestou sua preocupação com aquelas pessoas que necessitam de mais atenção, agora que muitos estão em casa, evitando sair às ruas. Para o senador, é importante usar a tecnologia como forma de aproximação entre as pessoas neste momento.

Já Romário (Podemos-RJ) pediu que as famílias tenham atenção especial no cuidado com os idosos, pois, trata-se de um grupo que está entre os mais vulneráveis à covid-19.

Bittar (MDB-AC) divulgou um alerta à população sobre os sintomas da doença. Ele também fez um apelo para que aqueles que estiverem com febre, tossindo ou dificuldade de respirar procurem uma unidade de saúde.

Presidente da CPI das Fake News, Angelo Coronel (PSD-BA) advertiu a população para tomar cuidado com a propagação de notícias relacionadas à pandemia de coronavírus. Segundo ele, antes de compartilhar um conteúdo, é preciso verificar se as informações são verdadeiras e se as fontes são confiáveis. Ele disse que “espalhar fake news só vai causar mais pânico e não vai ajudar a combater a proliferação do vírus”.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.