Últimas

FAS e Lojas Americanas levam internet para Reserva de Desenvolvimento Sustentável no Amazonas

Um em cada quatro brasileiros não tem acesso à internet no Brasil.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Nas áreas rurais e distantes dos grandes centros este número é ainda maior: pouco mais de 2 em cada 4 brasileiros podem se conectar à rede, de acordo com pesquisa divulgada recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE). Com o intuito de minimizar esta disparidade, ainda pior em comunidades do Amazonas, a Fundação Amazonas Sustentável (FAs) e as Lojas Americanas instalaram, na última semana, internet via satélite a mais um dos Núcleos de Conservação e Sustentabilidade (NCS), dessa vez na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã.

Além de permitir que os moradores possam estudar e empreender, a conexão trouxe o serviço de telessaúde do Governo do Amazonas, otimizando e permitindo mais qualidade do atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS) neste contexto de pandemia do coronavírus.

Para chegar no NCS, é necessária uma viagem de quatro horas de carro e mais duas horas de lancha rápida, partindo de Manaus. A partir de agora, a comunidade beneficiada vai descobrindo os benefícios do acesso à internet, inclusive para “matar as saudades”, conforme explicou um jovem morador. “Vai ser bom para se comunicar com os familiares distantes, para matar as saudades, de longe e de muito tempo”, garante o estudante Luiz Augusto Meireles.

A FAS possui nove núcleos espalhados pelo Amazonas. Atualmente, com a instalação no NCS do Uatumã, há cinco deles com acesso à internet, beneficiando diretamente mais de 250 estudantes. “Garantir, principalmente, acesso à capacitação em tecnologias da informação e conteúdos antes não acessados, por conta das distâncias físicas entre as comunidades e os grandes centros, é o principal objetivo da iniciativa”, disse o Coordenador de Projetos do Programa de Educação, Saúde e Cidadania da FAS, Amandio Oliveira. Iniciado em 2018, o projeto de conectividade da FAS e Americanas já beneficia, diretamente, mais de 836 pessoas.

Sobre os NCS’s

Os NCS’s são espaços formados por salas de aula, refeitório, biblioteca, alojamentos para alunos e professores, além de laboratório de informática. Essas estruturas integradas à floresta funcionam em parceria com as Lojas Americanas, Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), Universidade Estadual do Amazonas (UEA), prefeituras municipais e também tem apoio do Bradesco, Fundo Amazônia, Samsung e Petrobras.

Gilcele Miriam Pereira Coutinho, moradora da Comunidade Cesaréia e gestora do NCS do Uatumã, comemorou a iniciativa. “Eu quero parabenizar pela iniciativa de colocar esse meio de comunicação, que a gente precisava muito. Aqui é um lugar distante e a internet vai ajudar não só os estudantes, mas também a população ribeirinha quando acontece um acidente. Vai melhorar o desenvolvimento dos alunos e ajudá-los nos estudos à distância. É uma ‘porta’ muito grande que se abriu”, afirma.

Atendimento Covid-19

A internet chegou no núcleo e com ela o sistema de telessaúde do Governo do Amazonas. O serviço, uma iniciativa da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) de Manaus, em parceria com a FAS, tem por objetivo melhorar a qualidade de atendimento em relação à atenção básica do SUS, por meio da ampliação de capacitação das equipes de saúde da família através da internet. Além do treinamento, também são disponibilizados equipamentos de proteção e prevenção à Covid-19. Por meio do serviço, ainda são compartilhados vídeos e mensagens preventivas.

A ação também é resultado da articulação no âmbito da “Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento do Coronavírus”, coordenada pela FAS com o apoio de 71 parceiros, entre instituições públicas e privadas, como as Lojas Americanas.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.