Últimas

Com apoio da prefeitura e medidas de proteção, feira da Eduardo Ribeiro retorna neste domingo

Após três meses sem realização, em função da pandemia da Covid-19, a Feirinha de Artesanato da avenida Eduardo Ribeiro, no centro histórico da cidade, volta às atividades neste domingo, 5/7.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO
Com o apoio da Prefeitura de Manaus, mais de 250 artesãos receberão o público com a recomendação de seguir as medidas de prevenção ao contágio pelo novo coronavírus.

“O retorno das atividades obedece aos protocolos exigidos pelos órgãos de saúde, bem como os que foram determinados pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, como o uso de máscaras para visitação. As barracas serão distanciadas umas das outras e as que vendem alimentos vão atender somente com 50% de mesas e cadeiras. Os permissionários também disponibilizarão aos clientes, álcool em gel em local visível e de fácil acesso”, destacou o secretário municipal de Agricultura, Abastecimento, Centro e Comércio Informal (Semacc), Fábio Albuquerque.

O secretário da Semacc ressaltou ainda que o retorno da feirinha de artesanato, que funciona de 6h às 14h, é importante para a cidade, como uma opção de lazer para as famílias no Centro Histórico de Manaus, mas que vai oferecer também total segurança aos feirantes e clientela durante o enfrentamento ao novo coronavírus.

“A feira da Eduardo Ribeiro está voltando. Muito importante para os artesãos, para as pessoas que fazem aquele x-caboquinho, aquele café regional. Que você compareça, mas vá com segurança, cumprindo todas as medidas de prevenção à Covid-19, com o uso de máscara, álcool em gel, o distanciamento, para que você possa curtir a feira com segurança e dar segurança também para os feirantes”, finalizou o secretário.

Realizada pela Associação da Feira Municipal de Artesanato, Trabalhos Manuais e Produtos do Amazonas há 20 anos, essa foi a primeira vez que os mais de 250 artesãos ficaram tanto tempo sem atividades. “A feira é uma grande vitrine aos domingos, para que os empreendedores possam fazer negócios depois, também, pegar encomendas e se tornou o ganha pão para a maioria deles. A importância desse retorno é eles poderem ganhar um dinheirinho, levar o alimento para casa e também aos domingos rever as pessoas”, explicou o presidente da Associação, Wigson Azevêdo.

Rosimeire Rodrigues trabalha há cinco anos na Feirinha de Artesanato da Eduardo Ribeiro. E, apesar de possuir uma loja na galeria Espírito Santo, onde trabalha de segunda a sábado vendendo moda praia, é na feirinha que ela faz a maioria dos contatos para as encomendas que entrega durante a semana. “Foi difícil ficar parado esses meses, porque a gente depende das nossas vendas. Muito feliz com esse retorno”, disse Rosimeire.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.