Últimas

Daniela Assayag pede exoneração do cargo de secretária de comunicação do governo Wilson Lima, após denúncias na CPI da saúde na operação sangria



De acordo com o portal G1 Amazonas a Polícia Federal investiga suposto envolvimento do marido da secretária no esquema de superfaturamento na compra de respiradores para o Estado.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A secretária de comunicação do Governo do Amazonas, Daniela Assayag, pediu exoneração do cargo neste domingo (5). A Polícia Federal investiga o envolvimento do marido da secretária no esquema de superfaturamento na compra de respiradores para o Estado.

Daniela publicou no início desta noite, em suas redes sociais, o pedido de exoneração do cargo enviado ao governador Wilson Lima. No texto, Assayag diz que a decisão foi tomada “em virtude dos acontecimentos que emergiram na última semana". Ela cita a exposição de situações que questionam seus atos enquanto secretária de comunicação.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde afirmou, na última quarta-feira (1), que o marido de Daniela é sócio de uma das empresas investigadas pela Polícia Federal no esquema de superfaturamento na compra de respiradores pelo governo durante a pandemia. Duas sócias da empresa Sonoar foram presas pela PF. Daniela negou as acusações ao alegar que houve uma rescisão do contrato.

A CPI alega que a empresa estaria envolvida no processo da compra de 28 respiradores, por mais de R$ 2 milhões, pelo governo estadual.

Assayag e o governo foram procurados para esclarecimentos, mas não deram respostas até a publicação desta matéria.

Confira o pedido na íntegra:

Solicito à V.Sa. a minha exoneração do cargo de Secretária de Comunicação do Governo do Estado do Amazonas, a partir da data de hoje, 05 de julho de 2020, em virtude dos acontecimentos que emergiram na última semana expondo situações em que a lisura de meus atos enquanto Secretária de Comunicação deste Governo está sendo questionada.

Acredito que minha saída da Secretaria de Comunicação permitirá que a apuração dos fatos possa se realizar com seriedade e profundidade. E que sejam esclarecidas as ilações sobre atitudes e comportamentos não condizentes com a minha prática profissional.

Reafirmo a certeza de ter exercido o meu papel com todos os requisitos técnicos e éticos exigidos no cumprimento de minha função frente à Secretaria de Comunicação deste Governo. Espero que minha atitude represente, mais uma vez, meus princípios de lutar pela apuração dos fatos com veracidade e justiça".

Daniela Assayag possui mais de 24 anos de carreira na área de comunicação e jornalismo. Ela se formou em Jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), em 2001, e cursou especializações na área da comunicação em instituições como Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e ISE Business School.

Ela iniciou sua vida profissional em 1995, como repórter especial da Rede Amazônica, onde trabalhou por mais de 18 anos. Assayag foi uma das primeiras repórteres do Estado a produzir matérias para telejornais de alcance nacional, como o Jornal Nacional, Globo Repórter e Fantástico.

Em 2014, Daniela Assayag ficou responsável pela gerência de jornalismo de um grupo de comunicação do Estado. O grupo era o mesmo onde trabalhava o governador Wilson Lima, que, na época, era apresentador de um telejornal.

Em 2019, Daniela Assayag tomou posse como secretária de Comunicação do Estado, cargo que ocupa até o atual momento.

https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2020/07/05/secretaria-de-comunicacao-do-am-daniela-assayag-pede-exoneracao-do-cargo-apos-denuncias-na-cpi-da-saude-e-operacao-sangria.ghtml

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.