Últimas

Relação entre políticas públicas e ciência é discutida no 1° painel de abertura da Webconferência ambiental promovida pelo TCE-AM

“Ciência e Políticas Públicas: A Questão do Aquecimento Global e Preservação do Meio Ambiente”.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Esse foi o primeiro tema abordado no webconferência realizada na manhã desta sexta-feira (17) pelo Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM).

O ex-diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e eleito pela revista científica Nature como a pessoa mais importante da ciência, em 2019, doutor Ricardo Galvão falou sobre a relação entre ciência e formulação de políticas públicas.

Segundo ele, é de extrema importância que a formulação de políticas públicas para preservação do meio ambiente e de combate ao aquecimento global sejam, sobretudo, de respeito e integração entre os órgãos que lidam diretamente com a temática.

Para ele, fatos comprovados cientificamente como índices de desmatamento e queimadas e de devastação da Amazônia, negados pelo Governo, interferem no trabalho de combate às ações devastadoras e colocam em risco os biomas brasileiros.

“Quando o governo diz, por exemplo, que os dados do Inpe não servem para monitorar desmatamento, isso não é verdade. Nós temos exemplos claros do sucesso do monitoramento para embasar as ações de combate”, afirmou o ex-diretor do Inpe, Ricardo Galvão.

Ele ressaltou as ações das Cortes de Contas, especialmente do Tribunal de Contas do Amazonas no controle ambiental e pediu que o TCE-AM continue fiscalizando o bioma amazônico para, assim, irmanado aos demais órgãos de controle, preservar a Amazônia.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.