Últimas

Ativista e pré-candidata diz que mais mulheres precisam participar da política

Cresce o número de mulheres dispostas a disputar uma cadeira na Câmara Municipal de Manaus (CMM). 

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

O pleito de 2020 que terá as eleições marcadas pela pandemia de Covid-19, também ganhou nova data para votação, abrindo mais ainda a chance para os novos pretendentes às vagas de vereador e ao cargo de executivo municipal.

Coligada ao partido Podemos, a ativista Soraya Arruda é uma dessas mulheres que disse que vem com tudo e aposta na renovação das cadeiras. Ela afirma que confia na força da mulher, no empoderamento feminino e na necessidade de renovação no cenário político.

A pré-candidata Soraya Arruda disse que luta em defesa dos direitos das mulheres e da família. Para a ativista, “quando uma mulher entra para a política, muda a mulher. Mas, quando muitas passam a integrar ativamente a vida política, quem muda é a própria política.

Enfatiza que lugar de mulher é na política e cita o trecho bíblico do livro de Provérbios 31:8-9 que diz: "Erga a voz em favor dos que não podem se defender, seja o defensor de todos os desamparados. Erga a voz e julgue com justiça; defenda os direitos dos pobres e dos necessitados". 

Tudo isso para informar que foi desafiada pelas injustiças sociais e que sofreu violência doméstica, daí ser sua principal bandeira e ter criado o instituto Acauã, onde luta pelos direitos das mulheres e contra a violência doméstica. “Combater a violência é um dever de todos. Minha luta não é só contra a corrupção mas, como presidente do instituto afirmo que é hora de darmos um basta na violência doméstica. 

“Não me apresento como vítima, pois da minha dor eu me refiz e tornei-me ainda mais forte, para lutar pelas mulheres do meu Estado, o Amazonas. Onde mulheres sofrem diariamente, vítimas daqueles que deveriam protegê-las. Isso é inadmissível e eu digo não a violência contra à mulher. E na ânsia de lutar pelos direitos de todos os cidadãos, e em especial, das mulheres, resolvi lançar minha pré-candidatura a vereadora na CMM”, ressalta.

Soraya Arruda, 55 anos, é mãe, avó, e levanta bandeira pelo direito e defesa das mulheres, pelos Portadores de Necessidades Especiais (PNEs), Portadores de Deficiência (PCDs), e pela família tradicional. Ela disse que luta por uma Manaus melhor para todos.

“Luto contra a corrupção, que é um crime sistêmico e endêmico e tem que ser considerado crime hediondo. Soraya disse ainda que defende o envolvimento da população e a participação ativa da sociedade em todas as questões da cidade e, principalmente, defende uma maior participação das mulheres na política. “Quando os bons se calam, o mal prevalece”, destaca.

Mulher na política 

Soraya Arruda trabalha por uma maior participação feminina na política. Para a ativista, não há lugar para uma competição entre mulheres, mas de união de forças. 

No Brasil, a participação feminina em cargos políticos ainda é muito pouca. Atualmente, ocupamos o 115º lugar no ranking de presença feminina no parlamento. 

“Para mudar essa realidade e incentivar mulheres a ocuparem cargos de liderança, é preciso dizer não à rivalidade. Defendo uma Manaus, e um Amazonas, com mais igualdade de gênero, mais respeito às mulheres, mais políticas públicas femininas e mais mulheres na política. Vamos atrás dos nossos sonhos, vencendo barreiras e conquistando aquilo que merecemos” pontua.

As mulheres representam mais de 52% do eleitorado brasileiro, no entanto, menos de 6% participam de funções e cargos de diretorias no congresso nacional. 

“Precisamos mudar este realidade. Mais mulheres na política brasileira urgente. Se quisermos, podemos fazer a diferença, somos mais cuidadoras e fazemos da política um ideal e com o coração. Precisamos lutar para aumentar nossa representatividade e de mães, para cuidar da nossa cidade com o mesmo amor e zelo que cuidamos dos nossos filhos.”

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.