Últimas

Superintendente geral da FAS destaca, em webinar, trabalho a favor de indígenas e população do Amazonas

O superintendente geral da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Virgilio Viana, participou ontem de webinar promovido pela consultoria GO Associados, do economista Gesner Oliveira, para mostrar o trabalho que vem sendo feito pela organização não governamental (ONG) na prevenção e combate ao coronavírus na Amazônia.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

O webinar foi transmitido ao vivo pela internet e canais da GO Associados e teve expressiva audiência. “A repercussão foi excelente”, afirmou Gesner Oliveira, ex-presidente da Sabesp e do Cade.

Segundo Viana, a atuação da FAS em regiões remotas do Estado, por meio da Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais do Amazonas, que reúne 88 parceiros, entre empresas, ONGs, governos e sociedade civil, já beneficiou, em pouco mais de três meses de atuação, mais de 105 mil pessoas afetadas pela covid-19.

“Foram mais R$ 17 milhões em doações, em dinheiro e materiais, já assegurados, além de R$ 8 milhões em negociação, tendo sido realizadas 81 expedições de campo e 50 projetos em implementação, alcançando 32 municípios do Estado”, afirmou Viana no webinar. As ações da Aliança chegaram em mais de mil comunidades e aldeias e bairros carentes de Manaus.

Entre os produtos doados às populações, estão 37.615 kits de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs); 11.853 litros de combustível utilizados no transporte de pacientes e produtos para as comunidades; 47.619 kits de higiene; 567 mil sachês purificadores de água da empresa P&G; 7.841 cestas básicas; 300 mil máscaras, 21.500 unidades de álcool gel (500 ml) e mil oxímetros; e materiais de saúde.

Além das atividades da Aliança, o superintendente da FAS falou sobre a atuação da entidade em projetos de educação, telemedicina, empreendedorismo na floresta e preservação do meio ambiente. “Está na hora de o resto do país, principalmente as regiões mais ricas, do Sul e Sudeste, darem sua contribuição à Amazônia e ao papel que a região ocupa na garantia de chuvas às lavouras e cidades”, disse Virgilio Viana. Ele sugeriu uma cobrança em contas dos serviços públicos de uma taxa que beneficie o Estado.

Viana destacou também a importância da contribuição financeira e material de empresas e pessoas físicas para o trabalho realizado pela FAS, que não tem fins lucrativos e atua a partir desse tipo de apoio. Lembrou da contribuição importante da Microsoft, para a telemedicina na região; do Bradesco (um dos primeiros incentivadores da FAS) e do Itaú, na parceira “Todos pela Saúde”; e da Lojas Americanas, com expressiva participação na Aliança.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.