Últimas

Capitão Alberto Neto se encontra com vice-presidente, general Hamilton Mourão

A agenda do deputado federal, vice-líder do Governo na Câmara e pré-candidato a prefeito de Manaus, Capitão Alberto Neto está intensa. Após reunião com o presidente da República, Jair Bolsonaro, foi à vez de se reunir com o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Na pauta assuntos pertinentes à economia do Estado, infraestrutura e Amazônia, tendo em vista que o vice-presidente, preside o Conselho Nacional da Amazônia.

“Apresentei algumas indicações das reais preocupações do setor industrial, o que acaba afetando diretamente empregos no Polo Industrial de Manaus (PIM), como o caso da Sony, que declarou o término de suas atividades no distrito para o próximo ano”, explicou Alberto Neto.

Na ocasião o deputado federal pôde entregar em mãos as indicações contendo as principais inquietações dos investidores atuais e futuros da Zona Franca de Manaus (ZFM). Relatando o impacto negativo do fechamento da empresa Sony da Amazônia, com cerca de 200 colaboradores diretos ,assim como a possibilidade do encerramento das atividades da Salcomp Indústria Eletrônica da Amazônia, que hoje possui 500 funcionários, além dos impactos que o polo de concentrados está tendo no PIM.

Segundo Alberto Neto, o vice-presidente mostrou preocupação também com a ZFM e pontuou a necessidade de pavimentação da BR-319, defendendo que o desenvolvimento da Amazônia será através de uma bioeconomia e que o estado do Amazonas, por causa do Polo Industrial, possui a maior área de floresta preservada do Brasil.

“A geração de emprego e renda em uma indústria ‘limpa’ e comprometida com o meio ambiente. É nosso dever divulgar o modelo da Zona Franca para outros investidores, para que possamos receber mais fábricas em Manaus, pois muitos pensam que a indústria destrói e não é isso que foi estabelecido na capital da Amazônia”, complementou Alberto Neto. 

O deputado sugeriu articular com a Bancada Federal, a promoção de um seminário relatando os efeitos do modelo ZFM para a indústria nacional e os aspectos socioeconômicos sobre a Amazônia. 

Finalizando o Capitão Alberto Neto propôs para o combate às queimadas, a contratação de brigadistas argumentando que atualmente muitos se voluntariam, entretanto poucos permanecem em decorrência da ausência de qualquer remuneração. Com a indicação, o deputado federal sinalizou a importância e legitimidade das parcerias com Estados, para aumentar números de jovens moradores das regiões afetadas e que estes possam encontrar um ofício, com o intuito que não haja desistência em um trabalho que é fundamental para o estabelecimento da floresta em pé.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.