Últimas

Centro de Emissão de Declaração de Óbito por causa natural em domicílio já realizou mais de 200 atendimentos

O total de 201 atendimentos foram realizados pelo Centro de Emissão de Declaração de Óbito por Causa Natural em Domicílio, da Prefeitura de Manaus, até esta quinta-feira, 10/9.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

As atividades começaram no dia 18/5, e dos 201 registros, dez deles apresentaram confirmação para Covid-19, e outros 33 foram de óbitos com suspeita da doença. As demais ocorrências, sendo 158 atendimentos foram por causas variadas, associadas a comorbidades - diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares, neurológicas ou psiquiátricas, doença renal, hipertensão, câncer, obesidade, pneumopatia, entre outras.

O serviço atua apenas na zona urbana de Manaus, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 8h às 16h, com equipes de profissionais que, após solicitação por telefone (092) 98842-8437, se deslocam ao domicílio do solicitante, para exame do corpo e definição da causa da morte, emitindo a Declaração de Óbito (DO).

Coordenado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), o serviço é executado por equipes formadas por médico, técnico de patologia e técnico de necropsia. “É importante destacar que o atendimento é exclusivo para morte em domicílio por causa natural, quando o óbito ocorre por uma doença e, normalmente, tem relação com uma idade mais avançada”, explica a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae/Semsa), enfermeira Marinélia Ferreira.

Entre os 201 atendimentos, 150 (74,62%) ocorreram para a emissão de DO de pessoas a partir de 60 anos; outros 41 (20,39%) na faixa etária de 40 a 59 anos; e 10 atendimentos (4,97%) na faixa etária de 1 a 39 anos.

Covid-19

Mesmo com a redução de casos de Covid-19 em Manaus, as equipes seguem atentas aos óbitos relacionados à doença, nos casos já confirmados por exames e nos que apresentam sintomas suspeitos.

De acordo com a chefe interina do Centro de Emissão de Declaração de Óbito, Amanda Leão, no primeiro contato por telefone, a família é orientada a apresentar, se houver, receitas, exames e laudos médicos, ou outro comprovante no caso de doença crônica pré-existente, o que vai ajudar na definição de causa básica de morte.

“Com exame comprovando a Covid-19 ou nos casos suspeitos, as medidas de segurança para evitar a disseminação da doença são reforçadas. E quando a morte ocorre com quadro suspeito de Covid-19, a equipe da Semsa faz a coleta de material para exame pós-óbito”, informa Amanda.

Orientação

Além da apresentação de comprovante no caso de doença pré-existente, a família é orientada a providenciar um Boletim de Ocorrência do óbito, sendo necessário também apresentar documento de identidade legível e com foto (da pessoa morta e do responsável familiar), o cartão SUS e comprovante de residência.

Com a emissão da Declaração de Óbito, a família pode fazer contato com os serviços funerários de sua preferência ou, nos casos em que não houver recursos para tal, solicitar os serviços do SOS Funeral municipal.

Amanda reforça ainda que o serviço de emissão de óbito em domicílio não atende casos de mortes ocorridas em via pública ou por causas externas, quando a morte acontece por acidente ou violência. “O serviço registrou sete solicitações para atendimentos de morte por causas externas, mas nesses casos é necessário fazer contato com o Instituto Médico Legal”, orienta.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.