Últimas

CPI vai indiciar 50 pessoas entre elas, a ex-secretária de comunicação Daniela Assayag

Com o prazo extinto, a CPI da Saúde pode chegar ao fim se a base aliada do governo do Amazonas não votar pela prorrogação da comissão de investigação nesta terça-feira (29), na Assembleia Legislativa do Estado (ALE). O plenário Ruy Araújo foi palco de fantasmas na semana passada, já que nenhuma sessão plenária conseguiu reunir o número suficiente de deputados presentes para votação.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Relatório final

Se não for prorrogada, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde vai apresentar nesta terça-feira o relatório final, contendo todos os fatos apurados durante os 120 dias de trabalho. Segundo o presidente da comissão, deputado delegado Péricles (PSL), as apurações e os documentos serão encaminhados aos órgãos de controle. “Nós vamos indiciar cerca de 50 pessoas, entre empresários, secretários de saúde e servidores do governo do estado”, disse.

Os denunciados

O presidente da CPI da Saúde, deputado delegado Péricles, revelou com exclusividade, alguns nomes que serão indiciados por causa do envolvimento em esquemas em contratos de saúde bem suspeitos. “Tem os envolvidos no caso da compra dos respiradores pulmonares em uma loja de vinhos, os casos da Sonoar, Líder Serviços e Norte Serviços Médicos. Também serão indiciados, a ex-secretária de comunicação Daniela Assayag e o marido dela, Luiz Carlos Avelino Jr., apontado como sócio da Sonoar, que adquiriu e revendeu os respiradores para a loja de vinhos que revendeu para a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM)”, revelou o parlamentar.

Órgãos de controle

Depois que o relatório for apresentado em plenário, será encaminhado aos órgãos de controle estaduais e federais, como o Ministérios Público do Amazonas (MP-AM) e Ministério Público Federal (MPF), Tribunal de Contas da União (TCU) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE), Controladoria Geral de Estado (CGE) e da União (CGU) e ao Superior Tribunal de Justiça, onde tramita inquérito criminal envolvendo o governador Wilson Lima. “Milhares de páginas analisadas, inúmeras contradições detectadas, provas obtidas, depoimentos colhidos. Não é pouco o material que coletamos nesses últimos meses. Nosso trabalho foi exaustivo, mas extremamente válido. A corrupção virou rotina nos bastidores da gestão pública e isso faz com que muitos desses ilícitos sequer tenham recebido o esforço de serem escondidos de forma mais rigorosa”, disse Péricles.

Prorrogação da CPI

Em requerimento aprovado na semana passada, os membros da CPI da Saúde solicitaram que a Mesa Diretora da ALE convocassem todos os deputados estaduais para a sessão plenária desta terça-feira, com o objetivo de que a prorrogação por mais 60 dias dos trabalhos da comissão, seja aprovada. “O objetivo da comissão é contribuir diretamente para punição de todos os culpados pelos casos de corrupção e má gestão detectados pela CPI até então”, explicou o presidente da CPI.

Fonte: D24AM

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.