Últimas

Filme de Letícia Sabatella é atração de mostra virtual dedicada ao riso

A produção audiovisual é um dos destaques do terceiro módulo do projeto “Maloca de Palhaç@s”, que segue até o dia 14 de setembro com agenda completamente adaptada para a formato online. 

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Trazendo dois personagens ligados ao universo do riso e da comicidade, os documentários “Hotxuá” (SP) e “Purãga Pesika” (AM) serão exibidos nesta quarta (2) e quinta-feira (3), às 20h, pela plataforma Zoom. As inscrições para acesso à sala de exibição ainda podem ser feitas pelo link https://bit.ly/malocaAM.

Com direção de Letícia Sabatella e Gringo Cardia, o filme “Hotxuá” é um registro poético sobre o povo indígena Krahô, que designa um sacerdote do riso para fortalecer e unir o grupo por meio da alegria, do abraço e da conversa. A produção tem participação especial do ator Ricardo Puccetti, do Lume Teatro, que também ministra a oficina desta edição do “Maloca de Palhaç@s”.

Segundo Puccetti, o documentário ajuda a desvendar a função social do hotxuá nas sociedades indígenas. “O projeto teve como ideia inicial mostrar essa figura riquíssima e única, que é uma figura que é uma espécie de xamã do riso, de um palhaço sagrado”, afirma o artista. No filme, Puccetti aparece durante um encontro entre o palhaço de tradição ocidental, interpretado por ele, e o palhaço ancestral dos Krahô.

“O palhaço, na nossa cultura, existe principalmente dentro de um contexto de espetáculo, onde tem o palhaço com seu ofício e seu número, e o público que vai lá para assistir ao palhaço. Já o hotxuá existe com a função de trazer o riso para os locais, as situações, as relações e as pessoas que precisam de alguma maneira ser chacoalhadas para que a energia da aldeia circule. Então, se duas pessoas brigam, ele vai lá para tentar desfazer isso”, explica.

ALTO RIO NEGRO

O curta-metragem amazonense “Purãga Pesika”, de Selma Bustamante e César Nogueira, é o registro da passagem do Grupo Baião de Dois por comunidades nos municípios de São Gabriel da Cachoeira, Santa Isabel do Rio Negro e Barcelos, em 2016. Na época, a trupe levava na bagagem o espetáculo “Se essa rua fosse minha”, estrelado pela palhaça Kandura (Selma Bustamante), e uma oficina de máscaras e bonecos produzida por Fidelis Baniwa.

“Para mim, o filme é antes um ensaio do que um documentário. ‘Purãga Pesika’ quer dizer ‘bem-vindo’ em nheengatu. Quisemos explicitar o sentimento que tivemos pelo Alto Rio Negro ao fazermos trabalhos por lá”, destaca César Nogueira, que tem um farto acervo fotográfico com registros das viagens. Segundo ele, o material será usado em um filme que está sendo produzido em homenagem a Selma, falecida no ano passado.

CHAPÉU VIRTUAL

Após as exibições dos filmes, Ricardo Puccetti e César Nogueira participarão de um bate-papo sobre as obras, também pela plataforma Zoom.

A programação do “Maloca de Palhaç@s” terá, ainda, a exibição do espetáculo “Preciso Falar” (AM), neste sábado (4), seguido de bate-papo. No dia 14 de setembro, é a vez do cabaré circense “ClownBARÉ”, que será transmitido no canal da Fita Crepe Filmes no Youtube (https://bit.ly/3jCv4TC). 

Mantendo a tradição das apresentações de rua, o público pode contribuir com o “chapéu virtual” do projeto, com o objetivo de adquirir cestas básicas para artistas em situação de vulnerabilidade. Para contribuir, basta acessar o link https://bit.ly/ChapeuOnl-Maloca (PagSeguro) ou o perfil @rodanapraca no PicPay.

SOBRE O PROJETO

Idealizado pela Fitacrepe Filmes e Artes Cênicas e contemplado no edital do Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2018, o “Maloca de Palhaç@s” promove o intercâmbio entre mestres e aprendizes da arte da palhaçaria, de Manaus e de outras regiões do país, aproximando essa linguagem do grande público.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.