Últimas

Webinar debate investimentos em tecnologia e negócios inovadores da Amazônia

O universo de startups que está surgindo na Amazônia com foco em atividades sustentáveis pode ser a solução para fomentar o desenvolvimento de uma nova economia para a região, baseada na manutenção da floresta em pé.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Para debater o assunto, o Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (Idesam) e organizações parceiras promovem, no próximo dia 17, a partir das 15h (Manaus), o webinar “Biotecnologia e Inovação: Como Promover Investimentos em P&D e Negócios Disruptivos”. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através do link: bit.ly/debate-bioeconomia.

O evento será moderado pelo diretor-técnico do Idesam, Carlos Koury, e terá a participação da secretária executiva de Ciência, Tecnologia e Inovação do Amazonas, Tatiana Schor, do coordenador de Articulação e Acompanhamento da Política Tecnológica da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Leopoldo Montenegro Júnior, e do Gerente de Controladoria, BP, Compras, Vendas e P&D do Denso Industrial da Amazônia LTDA, Sergio Nakazawa.

A proposta é discutir a bioeconomia como agente de inovação para empresas, formas de conectar as inovações aos marcos regulatórios existentes e o potencial de desenvolvimento de biotecnologias disruptivas para Amazônia.

O webinar é o segundo de uma série de cinco eventos virtuais intitulada “A Nova Economia da Amazônia”, realizada pelo Idesam, em parceria com a Revista Página22 e outras organizações, para colocar em pauta as oportunidades de investimentos em negócios de impacto e serviços ambientais na região, ampliando também o engajamento das empresas da Zona Franca de Manaus (ZFM) na agenda de bioeconomia, através do Programa Prioritário de Bioeconomia (PPBio), conectado à Suframa.

O PPBio é um dos quatro programas prioritários criados para o aporte de parte dos investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) oriundos da Lei de Informática, na área de atuação da Suframa. O mecanismo conecta pesquisadores a empresas investidoras, impulsionando soluções para que a biodiversidade se transforme em produtos nas áreas de biotecnologia, tratamento de resíduos, biocosméticos, alimentos, construção civil, entre outros.

A bioeconomia, modelo econômico que se baseia na sustentabilidade, deve ajudar a região amazônica – que representa aproximadamente 60% do território brasileiro – a dar um salto em sua participação no Produto Interno Bruto (PIB), hoje de apenas 8%, gerando renda a partir da biodiversidade, sem a necessidade de derrubar ou queimar a floresta. 

Sobre o Idesam

Desde março de 2019, o Idesam é a instituição habilitada na coordenação do PPBio. O instituto é uma organização não-governamental sem fins lucrativos, com sede em Manaus, que há 14 anos trabalha para promover a redução do desmatamento, a conservação florestal, a erradicação da pobreza e o desenvolvimento sustentável na Amazônia.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.