Últimas

Comunidades recebem placas de energia solar, testes rápidos e kits de saúde no combate ao coronavírus

A Fundação Amazonas Sustentável (FAS) atuou em conjunto com a Empowered by Light - ONG internacional que auxilia comunidades carentes no acesso à fontes de energia limpa - na instalação de placas solares no Parque Indígena do Xingu, reserva indígena no norte do Mato Grosso, com mais de 7 mil habitantes de 16 etnias. O objetivo é abastecer de energia limpa um posto de telessaúde que trará assistência médica para a comunidade na luta contra o coronavírus. A região também foi afetada pela pandemia ao ponto de cancelar a celebração do Kuarup, ritual sagrado das etnias.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Outra iniciativa da FAS, realizada em parceria com a Embaixada da França no Brasil, foi a entrega de 65 kits de testes rápidos para detecção de anticorpos do novo coronavírus, iniciativa que visa apoiar o trabalho de profissionais da saúde que atuam, principalmente, nas comunidades Tumbira e Três Unidos, localizadas às margens do Rio Negro, no Amazonas.

A comunidade de Tumbira recebeu também termômetro digital, oxímetro, aparelho para medir pressão e EPIs como máscaras e macacões, por ser atendida pelo programa “Todos Pela Saúde”, parceria entre FAS e Itaú Unibanco. Os novos aparelhos deverão beneficiar as 35 famílias da comunidade, não apenas para controle da pandemia do novo coronavírus, mas também como forma de mitigar outras doenças.

De acordo com a técnica de enfermagem, Maria Augusta Vieira, com a ajuda dos equipamentos, é possível realizar uma triagem mais eficiente. “Primeiro nós aferimos o peso do paciente e depois a gente precisa verificar a pressão, a saturação de oxigênio e a temperatura; os aparelhos ajudam em tudo isso. Essas informações são repassadas para o médico e, a partir daí, ele avalia para ver que medidas tomar e poder orientar o paciente”.

Essas atividades têm outros complementos que atendem aos casos à distância. Um deles foi a realização da “teleorientação” em Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Juma e Mamirauá, no Amazonas. O objetivo foi orientar sobre os usos devidos de aparelhos médicos, bem como a instalação de plataformas remotas.

Durante uma ação de teleatendimento, por exemplo, realizada com 12 pacientes no Tumbira, a FAS entregou os novos aparelhos à agente comunitária de saúde e à técnica de enfermagem, responsáveis pela saúde da comunidade. O objetivo foi agilizar e tornar mais eficaz o trabalho daqueles que acompanhavam de perto os pacientes e dos que estavam a postos, do outro lado da tela do computador.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), aproximadamente 80% dos pacientes com Covid-19 podem ser assintomáticos ou adquirir poucos sintomas. Por isso, o teste rápido serve como um “termômetro” para se conhecer as condições de contágio nas comunidades e, a partir disso, tomar as medidas necessárias no controle de transmissão do vírus.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.