Últimas

FAS entrega ambulancha, kits de saúde e alimentação para auxiliar mais de 370 moradores de comunidade ribeirinha no Amazonas

RDS (Reserva de Desenvolvimento Sustentável) do Piranha é contemplada com doações realizadas no âmbito do projeto “Aliança Covid-Amazonas dos povos indígenas e populações tradicionais e organizações parceiras para o enfrentamento do coronavírus”.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Em tempos de pandemia, pensar em estratégias seguras e eficazes que envolvam higiene, logística, saúde e alimentação tem sido fundamental para a manutenção de comunidades ribeirinhas no Amazonas. Com isso em mente, a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) realizou no mês de outubro a entrega de uma ambulancha, duas canoas, centenas de cestas básicas, kits de limpeza e saúde, acessórios de higiene e dois geradores de energia elétrica para a Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Piranha. A iniciativa beneficiou 88 famílias e ocorreu em parceria com a Embaixada da França e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA/AM), por meio da “Aliança Covid-Amazonas”.

Um dos maiores desafios da RDS, localizada no município de Manacapuru/AM, diz respeito à locomoção. Isolados da cidade, os 373 moradores das comunidades Betel e Braga, beneficiados na ação, não dispõem de transporte coletivo e dependem das próprias embarcações para tarefas que envolvem desde o escoamento da produção - relacionada principalmente à pesca - até o deslocamento de pacientes. Para piorar, os níveis de água do rio costumam ficar baixos nesta época do ano, o que dificulta ou até impede a mobilidade dos barcos, considerados os principais meios de transporte local.

Mais saúde

Em relação à ambulancha, aos dois motores de rabetas e duas canoas doadas pela Embaixada da França, o agricultor e pescador Clínio Santana da Silva afirma que o auxílio vem em boa hora. “Está chegando em um período em que a gente tem dificuldade com o acesso da comunidade devido à seca. Muitas vezes também corre risco, sai debaixo de temporal e o paciente precisa chegar o mais rápido possível no município, então a ambulancha dá maior segurança. Antes não tinha uma lancha como essa e hoje temos a felicidade dessa ajuda”.

Para quem atua como agente comunitário de saúde (ACS), tanto a ambulancha quanto os kits de limpeza, higiene e saúde chegam para facilitar o trabalho. É o que afirma a ACS da comunidade Betel, Erotildes de Couto Braga, que antes dependia do próprio barco para realizar as visitas de rotina às casas dos moradores: “Às vezes, quando o meu marido precisa [do barco], eu fico em casa, e eu não consigo visitar alguém que necessita de cuidado, então essa foi uma melhoria muito importante no meu trabalho”. 

A carência de serviços básicos de saúde também foi percebida pela falta de medicamentos e aparelhos médicos. Para amenizar a situação, os moradores foram contemplados com duas caixas de luvas de látex, dois termômetros e medidores de pressão e dois kits contendo 20 testes rápidos para Covid-19, todos doados pela Embaixada da França. Erotildes comemorou: “A gente não tinha nada disso e precisa muito para quando tem um paciente hipertenso ou diabético. Então esses kits vão ser ótimos para melhorar e complementar o meu trabalho”.

Mais economia

Com a alta de preços dos alimentos e outros itens essenciais durante a pandemia, os moradores das duas comunidades têm sido obrigados a enfrentar mais esse obstáculo, que atinge pessoas de baixa renda de maneira mais significativa e desigual. A entrega de 178 cestas básicas e kits de limpeza foi a forma encontrada para apoiar as famílias que sentiram no bolso os efeitos da inflação nos últimos meses.

Segundo o ACS Nedvaldo Brito Barbosa, “na parte financeira é uma questão que ajuda muito, porque uma sacola dessas em Manacapuru custa mais ou menos R$ 300, então o comunitário já economiza bastante”. O profissional de saúde afirma também que tudo o que foi recebido e que é de uso coletivo precisa ser conservado pela comunidade. “Vai melhorar muito a nossa vida, mas a gente vai ter que cuidar bem, porque é de todo mundo”. 

Sobre a Aliança

A “Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento do Coronavírus”, coordenada pela FAS, tem o apoio de mais de 110 parceiros, entre instituições públicas e privadas, empresas e prefeituras. Os recursos arrecadados pela articulação são utilizados para atender as particularidades de cada região do Amazonas no combate à Covid-19. As doações para a Aliança podem ser feitas pelo site: fas-amazonas.org ou e-mail: contato@fas-amazonas.org.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.