Últimas

FAS promove formação virtual para 500 professores de quatro municípios do Amazonas

A educação na Amazônia é cercada de muitos desafios. Em escolas de regiões rurais e áreas de difícil acesso, lecionar para turmas que reúnem alunos de diferentes idades e níveis educacionais é uma realidade vivenciada por muitos professores, que precisam estar capacitados para atender a diversidade do ensino multisseriado.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Com objetivo de contribuir para a formação continuada deste grupo especial de educadores, a Fundação Amazonas Sustentável (FAS) promoverá, nos próximos dias 16 e 17 de outubro, uma capacitação do Projeto Amazonas Sustentável, em parceria com a Petrobras. 

Aproximadamente 500 professores do Ensino Fundamental I da rede pública municipal de Tefé, Coari, Uarini e Maraã participarão da oficina, que ocorrerá de forma remota, com apoio da Secretaria de Estado de Educação e Desporto do Amazonas (Seduc) para a mediação tecnológica. As aulas serão realizadas e transmitidas via Centro de Mídias de Educação do Amazonas (Cemeam). 

“Diante da pandemia do novo coronavírus, adaptamos o formato de implementação da oficina para garantir a segurança dos participantes. A formação será feita em Manaus e os professores acompanharão simultaneamente em seus municípios, através da estrutura preparada pela Seduc. Eles poderão nos ver, ouvir e interagir por meio de um chat”, explica a gestora pedagógica do projeto, Silvana Souza.

As oficinas promovidas pela FAS acontecem duas vezes ao ano em cada município e permitem que os professores se atualizem em relação à conteúdos e metodologias de ensino para levar uma abordagem mais lúdica para a sala de aula e trabalhar a inserção de temas regionais na educação, assim como soluções para o desenvolvimento sustentável. 

A iniciativa é voltada especificamente para os docentes que trabalham com turmas multisseriadas, recurso bastante utilizado em escolas da zona rural, onde a baixa densidade populacional, a carência de professores e as dificuldades de locomoção e infraestrutura exigem alternativas para o acesso à educação. 

Nessas turmas, os professores precisam estar preparados para ensinar, ao mesmo tempo, conteúdos de disciplinas diferentes para alunos que estão em diferentes séries da escola. Por isso, a formação continuada é essencial, destaca Silvana. “O objetivo é transmitir para o professor possibilidades de ministrar as aulas com novas metodologias. Todo ano construímos um plano de intervenção interdisciplinar para que ele possa trabalhar tanto dentro da escola, como na comunidade onde ele reside”, afirma. 

Neste ano, o livro ‘Guia de Atividades Escola D’água’, que aborda a importância da conservação dos recursos hídricos, servirá de base para auxiliar no desenvolvimento das atividades educacionais. Além da apresentação do livro, a formação terá uma mesa redonda com representantes de cada município, simulação de atividades em sala de aula, dinâmicas de integração, elaboração do Plano de Intervenção Interdisciplinar e uma amostra cultural com a exposição dos materiais elaborados na oficina. A programação ocorrerá das 9h às 12h no primeiro dia e das 9h às 16h no segundo dia. 

A segunda formação deste ano está marcada para o mês de novembro e também será realizada de maneira virtual. 

Sobre o projeto

O Projeto Amazonas Sustentável é uma iniciativa da FAS em parceria com a Petrobras, com objetivo de promover a conservação ambiental, contribuir para o desenvolvimento local e na melhoria das condições de vida ribeirinha. Abrange ações direcionadas para a implementação dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e para a redução de emissões por desmatamento e degradação florestal em comunidades ribeirinhas remotas no Amazonas, situadas nas bacias sedimentares do Solimões e do Amazonas, nas áreas de influência da Petrobras. 

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.