Últimas

Na gestão de Alfredo, “casinhas de saúde” funcionarão como pontos de apoio às UBSs

O candidato da coligação “Trabalho bom merece continuar”, Alfredo Nascimento (PL), afirmou na tarde desta segunda-feira, 19, em entrevista a um portal de notícias, que vai priorizar as ações de atenção básica em saúde, com a instalação de “casinhas de saúde” nas imediações das Unidades Básicas de Saúde (UBS) já existentes em todas as zonas da cidade.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Ele ressaltou que cabe ao município a responsabilidade de oferecer os serviços de atenção básica em saúde, funcionando como a porta de entrada do usuário no Sistema Único de Saúde (SUS).

“Para ser gestor de uma cidade é preciso, antes de qualquer coisa, ter conhecimento da legislação que rege cada área administrativa. No caso da saúde, a prefeitura segue as diretrizes do Ministério da Saúde, preconizadas na Política Nacional de Atenção Básica, tudo estabelecido em portarias e regulamentações do Ministério da Saúde. São regras que devem ser respeitadas e seguidas. Não há como fugir disso. Os recursos que são repassados pelo governo federal são para a Atenção Básica. Hospital, cirurgia, são de média e alta complexidade, portanto, fogem dessa cobertura. Construção de hospital, só se for para tirar (recursos) do próprio bolso para fazer”, disse Alfredo.

O candidato reafirmou o compromisso dele e da vice, Conceição Sampaio (PSDB), em ampliar o índice de cobertura da Atenção Básica, para alcançar 100% das pessoas que precisam desses serviços. “Nossas casinhas de saúde funcionarão como anexos das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e terão equipes compostas por médico, enfermeiro, dentista e agentes comunitários de saúde, que atenderão em casa, fornecendo os medicamentos quando necessário. Elas servirão de apoio para as UBSs. O (prefeito) Arthur (Neto) encontrou uma cobertura baixa, em cerca de 40%. Hoje o município responde por mais de 64%”, destacou Alfredo. 

Segundo ele, o papel da prefeitura é evitar que as pessoas adoeçam, trabalhando na prevenção e educação em saúde.

“Quando fui prefeito, instalei 168 casas do programa Médico da Família. Vamos retomar o atendimento integral à população, interligar com o serviço atual, identificar e tratar de doenças já existentes, dando atenção e cuidado. Não podemos pensar em construir nada na área de saúde, sem antes resolver a entrada no sistema, é necessário ter a prevenção e cuidar das doenças existentes. Essa é a obrigação da prefeitura”, observou Alfredo.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.