Últimas

Polícia Civil apreende armas e munições em Autazes, na operação Mamon

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), deflagrou, na quinta-feira (08/10) em Autazes (a 113 quilômetros de Manaus), a terceira fase da operação ‘Mamon’, que resultou na apreensão de 11 armas de fogo, totalizando 20 armas apreendidas desde o início da ação policial.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

O balanço da operação policial foi apresentado durante entrevista coletiva de imprensa nesta sexta-feira (09/10), no DRCO, na Compensa, zona oeste da capital. Logo cedo, o governador Wilson Lima esteve no Departamento e parabenizou os policiais pela grande apreensão que, segundo ele, enfraquece o poder de fogo de traficantes.

“Aqui, temos oito armas longas, incluindo fuzis, submetralhadora, pistola e muita munição. Isso é resultado do compromisso que o Governo do Estado tem com a segurança e do rigor que está sendo adotado pelas nossas forças de segurança”, destacou Wilson Lima.

Na ocasião, a delegada-geral da Polícia Civil, Emília Ferraz, ressaltou que os trabalhos dos policiais civis foram essenciais para o sucesso da operação que, ao longo de três fases, conseguiu dar um prejuízo significativo aos criminosos. “Apresentamos aqui o resultado de mais um excelente trabalho. Com isso, mostramos à população que esse grande armamento foi retirado desses criminosos”, disse Emília.

O secretário de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), coronel Louzismar Bonates, enfatizou a importância desta fase da ‘Mamon’, que retirou de circulação as armas de fogo. “Conseguimos evitar que muitos crimes ocorressem e desarticulamos essa organização criminosa. Estamos empenhados em combater o crime organizado no Estado”, frisou Bonates.

O delegado Rafael Allemand, diretor do DRCO, informou que, durante as investigações, os policiais já sabiam que organizações criminosas mantinham o arsenal escondido e, através do trabalho de inteligência e investigação, monitoraram a movimentação de alvos da operação.

“Quando eles começaram a agir, recebemos a informação de que o motorista do narcotraficante Gilson Mattos Rodrigues, que comandava o esquema, teria transportado as armas de um sitio conhecido como Amarelo, na BR-319, no município de Manaquiri, (distante 60 quilômetros em linha reta da capital) para Autazes”, relatou Allemand.

Ao ser indiciado, o motorista de Gilson, 41 anos, contou, na sede do DRCO, que as armas estariam enterradas em uma residência localizada na Rua AZ1, bairro Rosarinho, em Autazes. A equipe policial então se dirigiu ao município e, por volta de 15h de ontem, realizou a apreensão das armas.

Além do motorista, mais duas pessoas que auxiliaram no transporte das armas foram indiciadas. Agora, eles fazem parte do processo principal e responderão pelos crimes de organização criminosa e posse de arma de fogo de uso restrito.

Apreensão

Ao todo, durante as três fases da operação, foram apreendidas 20 armas de fogo de grosso calibre, todas as armas apreendidas estavam embaladas e nunca haviam sido utilizadas. Além das armas, os policiais encontraram diversas munições de calibres distintos, carregadores e extensores das armas.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.