Últimas

Vencedora do ‘Educador Nota 10’, gestora de escola da prefeitura concorre à nova categoria em votação on-line

Única representante da região Norte na 23ª edição do prêmio nacional “Educador Nota 10”, a gestora Lúcia Cristina Santos, da escola municipal Professor Waldir Garcia, zona Sul, que está entre os dez vencedores da premiação, participa agora de uma nova etapa.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Por meio de voto popular on-line, a educadora da Prefeitura de Manaus concorre ao troféu #Esse projeto é 10. A votação iniciou nesta quinta-feira, 15/10, e segue até o dia 27 deste mês, pelo link https://bit.ly/3j5xAB9. Para optar pela professora da Secretaria Municipal de Educação (Semed), basta clicar na foto dela quantas vezes desejar.

Ainda no dia 27, Lúcia Cristina, que ganhou o prêmio “Professor Nota 10”, com o projeto “Acolher para todos envolver e aprender”, de 2019, na categoria “Gestão Escolar”, participará da cerimônia de premiação dos vencedores, a partir das 15h, pela TV Futura, no Futura Play e nos canais do YouTube e Facebook.

A professora Lúcia vai concorrer ainda na categoria “Educador do Ano”, que premiará o melhor educador com R$ 15 mil e a escola com R$ 5 mil. A escolha do ganhador será feita por meio de uma comissão de jurados, composta por cinco especialistas na área de educação. A defesa da representante da rede municipal será de forma remota, no dia 24 deste mês.

Para subsecretaria de Gestão Educacional da Semed, Euzeni Araújo, o fato da educadora do município chegar entre os dez finalistas de todo o país é algo para ser celebrado. “A Semed tem um imenso orgulho por termos a gestora Lúcia Cristina Cortez premiada no maior e mais importante prêmio da educação brasileira, o Educador Nota 10. Agora, queremos que ela chegue a ser a educadora do ano, que é escolhido entre os dez premiados. Além de ganhar o troféu #Esse projeto é 10. Para que isso aconteça, podemos ajudar votando nela pelo link do prêmio. Você pode votar mais de uma vez, divulgar entre os amigos e na sua escola, vamos ajudar a educação de Manaus a receber mais esse título”, disse.

Considerado o maior e mais importante prêmio da educação básica brasileira, o evento foi criado em 1998 pela fundação Victor Civita que, desde 2014, realiza a premiação em parceria com o grupo Abril, Rede Globo e fundação Roberto Marinho. Na edição deste ano, a coordenação recebeu quase quatro mil inscrições de todo país. Após uma análise, foram escolhidos os 50 finalistas e também os 10 vencedores deste ano.

A gestora de Manaus já ganhou um vale-presente no valor de R$ 15 mil, a unidade de ensino Waldir Garcia, R$ 1 mil por ter desenvolvido o projeto e uma assinatura digital da Nova Escola, com vigência de janeiro a dezembro de 2021.

A Waldir Garcia já ganhou o prêmio Itaú Social e das Escolas Transformadoras em 2017, além do prêmio Nestlé por crianças mais saudáveis, este ano. Para Lúcia, é um momento muito especial pelo trabalho pedagógico realizado na unidade. “Fico feliz pelo reconhecimento e valorização do nosso trabalho e da educação de Manaus. Por meio do prêmio, ganhamos visibilidade nacional. O que nos deixa orgulhosos em mostrarmos que o Amazonas garante a todos o direito de aprender com uma educação inclusiva, equitativa e de qualidade. Peço o apoio de todos para votarem no meu projeto que trata da inclusão com foco na educação integral e de uma escola com gestão democrática e participativa”, disse. 

Sobre o projeto

O projeto ‘Acolher para todos envolver e aprender’, na escola, atende um total de 227 alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, em tempo integral. Deste total, 50 são estudantes estrangeiros do Haiti, Venezuela e Cuba e 117 brasileiros. O projeto trabalha com as metodologias ativas, colocando o estudante como protagonista do fazer pedagógico, obedecendo componentes curriculares comuns e diversificados, como dança, teatro, iniciação científica, desporto, filosofia, literatura e língua inglesa. 

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.