Últimas

Cartórios e Polícia Federal firmam convênio para acesso à base de dados de registros de imóveis do Amazonas

Com o objetivo de permitir o acesso à base de dados dos registros de imóveis do estado do Amazonas para que sejam consultados na investigação de ilícitos criminais relacionados a crimes ambientais, grilagem de terras e lavagem de dinheiro na região, a Associação dos Notários e Registradores do Amazonas (Anoreg/AM), assinou nesta segunda-feira (09.11) um convênio de compartilhamento de dados com Departamento da Polícia Federal no Amazonas.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

O termo de cooperação foi assinado pelo presidente da Anoreg/AM, Marcelo Lima Filho, e pelo superintendente Regional da Polícia no Amazonas, delegado Alexandre Silva Saraiva, que aproveitou o ensejo para apresentar as ferramentas de rastreamento espacial e de acompanhamento dos dados de geolocalização de imóveis, em tempo real, obtidos por meio de sistemas que contam com imagens de satélites.

Saraiva destacou, ainda, algumas ferramentas de apoios ao sistemas utilizados pela PF no estado, entre eles, o Planet - tecnologia americana que possibilita que imagens e dados sejam vistos por meio de poucos cliques -, e destacou a importância do Cadastro Ambiental Rural (CAR), que disponibiliza dados de imóveis como nome do proprietário do imóvel, localização, tamanho e módulos fiscais.

Na ocasião, o presidente da Anoreg/AM explicou que “os cartórios prestam mais uma relevante contribuição para a sociedade, desta feita disponibilizando o acesso a dados úteis ao trabalho de investigação policial, inclusive contribuindo na formulação de estratégias que possam cobrir a prática de crimes ambientais, a grilagem de terras e a ameaça a direitos das populações indígenas em todo estado do Amazonas”, disse. “Estamos também dispostos a participar de projetos e estratégias que estejam além da disponibilização das informações já existentes nas centrais de dados”, completou.

Marcelo Lima Filho também ressaltou a importância do Sistema Cacique Web, que hoje é usado pelas serventias extrajudiciais do estado, mas não descartou a possibilidade de inserir informações e dados no novo sistema da Polícia Federal, a fim de garantir transparência nos serviços que hoje são oferecidos para a população amazonense através dos Cartórios.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.