Últimas

Com Telemedicina, PM garantiu apoio a militares infectados pela Covid-19

 Guardiões da segurança pública, os policiais militares sempre estiveram na linha de frente do perigo visando proteger a sociedade. Com a pandemia do novo Coronavírus, não está sendo diferente. No auge da pandemia, enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) orientava que a população ficasse em casa, os militares continuaram trabalhando nas ruas, inclusive em ações de apoio às fiscalizações sanitárias.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Mesmo usando materiais de prevenção ao Covid-19, como as máscaras e o álcool em gel, vários militares acabaram contraindo a doença e tiveram que se afastar de suas funções diárias. Foi aí que o Hospital da Polícia Militar do Amazonas (HPM), localizado no bairro Petrópolis, zona sul da capital, viu a tecnologia como aliada no atendimento desses servidores.

A unidade de saúde adotou o sistema de Telemedicina, através de videoconferências com profissionais da saúde, para a realização de consultas, avaliações, orientações médicas e diagnósticos dos pacientes que contraíram o novo Coronavírus. O responsável pela divisão de medicina e de medidas de combate ao Covid-19 do hospital da PM, Coronel Manoel Coelho, explica como funciona o atendimento aos militares.

“A modalidade que encontramos para fazer o combate ao novo Coronavírus foi usando a telemedicina, mais especificamente a teleorientação e teleconsulta. Para a realização desde essas consultas online, foi criada uma plataforma para a PM chamada de Sasi, onde o policial militar entrava nessa plataforma descrevia os seus sinais e sintomas, pedia orientações médicas e mandava exames testes de Covid-19 para realização de uma avaliação através de uma videoconferência. Além da consulta online o profissional ainda realiza orientações trabalhistas como afastamento de sua função”, disse.

Ao todo, mais de 3.129 mil policiais foram atendidos na plataforma online. Para que o atendimento fosse bem sucedido, a Polícia Militar reestruturou o laboratório de Análises Clínicas e fez uma parceria com a Fundação de Vigilância Sanitária do Estado (FVS), para que o Hospital fosse um centro de testagem de diagnóstico e controle epidemiológico do Coronavírus para a população militar.Com a reabertura das atividades, a partir da redução da curva de contágios e mortes, os atendimentos presenciais retornaram. Até o fechamento dessa matéria, mais 1.400 mil policiais militares haviam sido atendidos no Hospital da PM.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.