Últimas

Romero Reis mantém coerência política e declara nulidade do voto no segundo turno

Em coletiva de imprensa, realizada na manhã desta terça-feira (17), num hotel da zona Centro-Sul, o presidente do diretório municipal do NOVO, Hélio Reis, acompanhado dos candidatos que disputaram as eleições 2020, declarou que o partido não formará alianças no 2⁰ turno.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A posição de neutralidade do partido foi encampada pela chapa majoritária e pelos seis candidatos a vereador. Na avaliação pós campanha, o presidente do diretório municipal apontou o aumento do número de eleitores que votaram no NOVO, como um fato a ser comemorado. “Em 2018 no Amazonas, o NOVO contava apenas com um núcleo estadual. Não tínhamos diretório. Éramos apenas sete pessoas que tiravam recursos do próprio bolso para divulgar o João Amoedo, que disputava a presidência. Naquela época, tivemos 23.925 votos em todo o estado. Nesta eleição, crescemos mais de 50% em Manaus. Nossos candidatos juntos (majoritários e proporcionais) tiveram mais de 35 mil votos. Isso demonstra a força dos apoiadores que querem uma política nova. Para o nosso candidato Romero, a única palavra que posso descrevê-lo é excepcional. Para nós é um orgulho tê-lo como filiado aqui em Manaus, acreditando sempre em ter uma cidade e um estado mais livre de amarras”, afirmou Hélio Reis.

O candidato Romero Reis, acompanhado do vice, Eduardo Costa, cuja chapa 'Manaus tem pressa' obteve mais de 29 mil votos no primeiro turno da eleição majoritária, agradeceu o apoio dos eleitores que votaram nas propostas para transformar Manaus numa cidade melhor para se viver e trabalhar.

O engenheiro, oficial da reserva do Exército Brasileiro e empresário foi categórico ao expor seu posicionamento para a escolha do próximo prefeito de Manaus.

"Óleo não se mistura com água. Venho declarando isso desde que iniciei esta caminhada. Não posso me unir com pessoas que não estão bem intencionadas com a cidade. Conheci profundamente Manaus nesta campanha e fiquei abismado em saber que mais de um milhão de pessoas vivem sem estrutura; vivem na informalidade; não tem moradia; fiquei entristecido em saber que muitas crianças ainda recebem de merenda escolar refresco de pozinho e bolacha de motor", declarou.

O candidato, que estreou na política disputando o cargo de prefeito, foi categórico ao afirmar que não apoiará nem David Almeida nem Amazonino Mendes. Mas pediu que o eleito não abandone setores básicos e que mantenha seus compromissos de campanha.

“As pessoas precisam de gestores que tenham compromisso com a sociedade e não com eles mesmos. Que o interesse coletivo se sobreponha aos interesses pessoais e dos partidos. Que o eleito faça o bem sem ver a quem. Que o próximo prefeito consiga aumentar o número de empregos; que cuide da infraestrutura; que aumente a rede de esgoto que há anos não passa de 12%; que cuide da saúde e da educação. O que constrói uma sociedade livre, são homens livres e de bons costumes”, expressou o candidato. Romero salientou ainda que dará continuidade a sua atividade sem planejar o futuro político neste momento.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.