Últimas

AÇÕES DA ACA LEVAM AOS RESULTADOS ESPERADOS

Associação Comercial do Amazonas teve participação ativa que garantiu a flexibilização do decreto governamental

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Na madrugada deste domingo, 27, após uma longa reunião do comitê de enfrentamento da covid-19 no Amazonas, saiu uma decisão que representou uma conquista ao pleito defendido desde o começo pela Associação Comercial do Amazonas e que garante vendas nesse período de fim de ano.

A ACA não havia participado do encontro que definiu as regras do decreto 43.234 de 23 de dezembro de 2020 que entrou em vigor neste sábado, 26, e assim que tomou conhecimento apresentou uma manifestação formal ao Governo do Estado pedindo que o comércio pudesse funcionar, pelo menos, até 31 de janeiro afim de minimizar os impactos na economia e dessa forma houvesse a preservação de empregos no setor. A Entidade também teve representantes nas ruas durante as manifestações que ocorreram neste sábado e que, levaram o Governador Wilson Lima a debater, desta vez com uma gama maior de representantes incluindo o Presidente da ACA, as formas de estabelecer medidas mais rígidas de prevenção e controle da covid-19, sem esquecer os impactos no setor econômico em uma época essencial, como o réveillon. “Estamos aqui as duas horas da madrugada, encerrando a reunião com o governo do Estado, na qual a Entidade Comercial se sobressaiu e fizemos um acordo com o governo que a partir de segunda-feira, a abertura do comércio até dia 11 [de janeiro] será feita no horário de 8h às 16h”, disse Jorge Lima ressaltando que, após o intenso debate, ouvindo diversos setores da economia a flexibilização foi até além do que ACA solicitou por meio de ofício: “ Aqui pudemos debater e expor melhor tudo, as entidades co-irmãs e de outros setores também falaram as suas dificuldades e o resultado minimiza as perdas para a maioria dos setores”, explicou Lima. 

É importante ressaltar que a ACA durante essa pandemia teve a iniciativa de patrocinar a campanha intitulada Em defesa da Vida com ampla divulgação nas redes sociais, mídia e entre os associados de informações sobre o uso de máscara, distanciamento social e higienização regular das mãos, campanha que alcançou mais de 40.000 pessoas. A Entidade também reduziu drasticamente os encontros presenciais, promovendo reuniões via internet para evitar as aglomerações. Isso demostra que a Associação Comercial do Amazonas segue atenta aos números da pandemia e que entende que medidas para conter o avanço dessa doença são necessárias, mas ressalta que quando se discute com todos os representantes envolvidos é possível chegar num consenso que cause menos prejuízo. “A decisão foi satisfatória, hoje prevaleceu o bom senso, o governo cedeu uma parte, nós vamos ceder com outra e vamos enfatizar a obediência às normas de segurança em saúde e todos saíram ganhando”, comemorou Jorge Lima, ressaltando que os comerciantes unidos sensibilizaram o governador e que Wilson Lima fez questão de debater pessoalmente com a classe. 

Decisivo nessa manifestação em prol do comércio, Ali Bawab esteve presente desde as primeiras manifestações. “A reunião surtiu o efeito que esperávamos. Nós iniciamos todo esse trabalho. Estão todos de parabéns, se tornou um movimento popular de pressão para essas mudanças, parabéns a todos que participaram, a vitória é nossa”, disse o diretor da ACA que ficou de plantão junto com o empresário Bruno Pinheiro do lado de fora do CICC aguardando o fim da reunião. “Continuemos sempre juntos porque assim conseguiremos tudo que precisamos,” finalizou Bawab.

O novo decreto começa a valer nesta segunda-feira, 28 de dezembro. A ACA ressalta e parabeniza a postura do Coronel Norte no comando do policiamento diante das manifestações, com rigor mas sem agressões. 

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.