Últimas

Eclipse solar total poderá ser visto no Brasil nesta segunda-feira, 14

Hoje um eclipse solar poderá ser visto parcialmente em vários países da América do Sul, como o Brasil, e outras regiões do mundo. Por 24 minutos, a lua nova vai passar sobre a face do Sol e cobri-lo completamente por pouco mais de dois minutos. O chamado caminho da Lua faz com que o dia se transforme em noite por alguns minutos.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

No Brasil só será possível visualizar o fenômeno de maneira parcial. O eclipse começará às 11h33 no horário de Brasília e terminará às 15h53. A Nasa vai transmitir ao vivo o eclipse na América do Sul, a partir das 11h40 (horário de Brasília).

Um eclipse solar total ocorre quando o Sol, a Terra e a Lua se alinham de tal maneira que ela impede que a luz solar chegue ao nosso planeta. A Lua é 400 vezes menor que o Sol, mas parece maior porque está muito mais perto de nós e, portanto, pode "cobrir todo o disco do Sol". Quando um evento assim acontece no meio do dia, ele causa uma escuridão repentina por alguns minutos.

A trajetória da Lua em frente ao Sol lançará uma cortina de escuridão sobre a ponta sul da América do Sul, por volta do meio-dia. Ele poderá ser visto em sua totalidade em pontos do Chile e da Argentina. De forma parcial, poderá ser visto no Brasil e em outros países da região, como Peru, Bolívia, Uruguai, Paraguai. A visão será diferente dependendo da região que você estiver. Isso porque o horário exato do máximo escurecimento do sol depende da localização do observador. 

Quem estiver nos pontos privilegiados para curtir o fenômeno deve tomar alguns cuidados para que seus olhos não sofram danos. 

Pode haver até cinco eclipses solares em um único ano, mas um eclipse solar total só ocorrerá aproximadamente uma vez a cada 18 meses, quando a Lua estiver na posição correta para bloquear completamente a luz do sol.

Os próximos eclipses solares completos serão na Antártica (dezembro de 2021), Indonésia e Austrália (abril de 2023), EUA e Canadá (abril de 2024), sul da Europa e Groenlândia (agosto de 2026), e na maior parte do Norte da África e Oriente Médio (agosto de 2027).

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.