Últimas

‘Quem é você na fila do pão?’ estreia dia 15 de dezembro

O talk show “Quem é você na fila do pão?” está previsto para estrear no dia 15 (terça-feira) deste mês, simultaneamente nas redes sociais do projeto no Instagram (@quemevoce.nafiladopao), Facebook (Quem é você na fila do pão?) e YouTube (Quem é você na fila do pão?).

Foto: Divulgação / BLTZ AMAZÔNICO

Os episódios serão publicados diariamente até o dia 26 (segunda-feira) de dezembro e ficarão disponíveis nas plataformas para visualização permanentemente.

A série de entrevistas foi gravada durante a manhã e a tarde deste domingo (06/12), no Piaf Restaurante e Café, localizado na rua 10 de Julho, 443, Centro, zona sul de Manaus, cujo proprietário, Douglas Rodrigues, cedeu espaço para as gravações.

O criador do projeto, o ator, diretor e produtor cultural Paulo Queiroz, explicou que cada entrevista terá duração de 20 minutos, com um dos 11 artistas selecionados. Os entrevistados foram Mara Pacheco (Espaço Cultural), Wendy Lady Oha (Música), Gabriela Barbosa (Teatro), Teffy Rojas (Circo), Rayane Lacerda (Literatura), B-Girl Vivi (Hip-Hop), Priscilla Espíndola (Dança), Idemar Vale (Cultura Infância), Karapãna (Artes Visuais), Jonavegante (Manifestações Culturais) e Remy Sampaio (Audiovisual).

Também participaram das gravações o coreógrafo Jorge Kennedy, as atrizes Francy Junior e Narda Telles, a palhaça Ana Oliveira, a escritora Márcia Antonelli, o B-Boy Mayking, a coreógrafa Carmem Arce, o pedagogo Ricardo Lopes, o antropólogo João Paulo Lima Barreto Tukano, a cantora e compositora Lucinha Cabral e o ator Adanilo. Cada um apadrinha, dentro de sua área de atuação, um dos 11 artistas selecionados.

Cada um dos entrevistados chamou a atenção por seu talento e por sua história pessoal, dentre eles o indígena Joilson Paulino, que adotou o nome artístico Karapãna, em homenagem a sua etnia. Karapãna tem 46 anos, atua como artesão, artes visuais (pintura corporal e pintura em tecido), ator e professor. Para ele, ser índio e artista é algo natural, pois, a arte está presente no cotidiano dos índios, diferentemente das pessoas não indígenas.

“A arte na cultura indígena é vivenciada diariamente, nos cantos, na pinturas, nas danças, esculpindo madeira e nas demais atividades rotineiras. Isso, para nós, como índios, é o cotidiano, encaramos como parte da nossa vida. No dia a dia, nós colocamos ela em prática, e ela é simplesmente sistematizada na forma que o homem branco chama de arte”, comentou Karapanã, que já participou como figurante na minissérie da Rede Globo “Aruana” e em um filme italiano, entre outros trabalhos.

Arte e humor – Quem conduziu as entrevistas foi a cômica apresentadora Filó, a Básica, personagem interpretada por Paulo Queiroz. Ele conta que a personagem foi criada há mais de 30 anos para um evento de uma empresa no Polo Industrial de Manaus (PIM) que solicitou uma produção cômica para o artista para entreter os convidados.

“Ela surgiu como uma proposta despretensiosa. Só que naquele encontro, havia muitos diretores de fábricas, e ela começou a fazer muito sucesso. Então, muito deles que estavam ali pediram o meu contato e me convidaram para fazer outros eventos, como palestras e treinamentos, em parceria com pessoas que trabalham com recursos humanos. E foi assim que ela virou a Filó, a Básica, essa mulher que diz ‘Olha, mas não pega’; uma mulher que se olha no espelho e se vê a Gisele Bûdchen e que diz que mulher bonita não precisa de exagero e que a mulher bonita só balança o cabelo e vai pra lida. Mas, ao mesmo tempo que ela diz isso, ela é uma árvore de Natal ambulante”, comenta Queiroz.

Sobre o projeto – Intitulado “Quem é você na fila do Pão? – Edição Norte-Sul/Leste-Oeste”, o projeto cultural foi concebido e desenvolvido por Paulo Queiroz e foi contemplado pela Lei Aldir Blanc, no edital do Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2020, na categoria Teatro, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) da Prefeitura de Manaus. O projeto selecionou artistas de 11 áreas: Artes Visuais, Audiovisual, Cultura Infância, Dança, Espaços Culturais, Hip-Hop, Literatura, Manifestações Culturais, Música, Teatro e Circo.

Equipe técnica – A equipe técnica do projeto é composta por Paulo Queiroz (direção e intérprete de Filó, a Básica), Narda Telles (produção), Denys Cauper (assistente de produção), Thiago Queiroz (assistente de produção), França Viana (assistente de produção), Alê Ferraz (design e identidade visual), Chamel Flores (cinegrafia, fotografia e edição de imagens), Eugênio Lima (maquiagem), Jonathas Sales (figurinos) e Guilherme Gil (assessoria de comunicação).

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.