Últimas

Senadores lamentam morte de Maguito Vilela, vítima de covid-19

Senadores lamentaram a morte do prefeito de Goiânia e ex-senador Maguito Vilela, aos 71 anos, na madrugada desta quarta (13). O político estava internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, desde outubro, quando contraiu covid-19. Mesmo doente, Maguito liderou a corrida pela prefeitura e foi eleito em segundo turno, no fim de novembro. Ele tomou posse na UTI, por assinatura eletrônica, em 1º de janeiro e licenciou-se logo depois. 

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

Em nota, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, afirmou que o dia é "especialmente triste" para o estado de Goiás e destacou que Maguito Vilela lutou "bravamente" contra a covid (veja a íntegra abaixo). 

"Foram 45 anos de vida pública. Quase meio século de serviços prestados. Um grande brasileiro. Uma grande perda. Meus sinceros sentimentos à família, aos amigos, aos goianos e aos admiradores de Maguito por todo o Brasil", disse Davi 

Nas redes sociais, parlamentares elogiaram a vida pública de Maguito. O senador Ciro Nogueira (PP-PI), lamentou o fato de Maguito não ter se recuperado a ponto de assumir efetivamente a cadeira. Ele se solidarizou com a família, ressaltando que a confiança dos goianos no político se comprova pelos diversos cargos públicos que ele ocupou ao longo da vida. 

“Maguito é dono de uma bela história de serviço ao estado de Goiás. Na última eleição, foi escolhido para a prefeitura da capital mesmo tendo passado parte do período de campanha já hospitalizado. Isso prova a confiança da população em sua força e capacidade. É uma pena que ele não pôde assumir efetivamente esse mandato. Meus sentimentos à família”. 

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) lamentou a morte, mencionando episódio em que apresentou o narrador de esportes Galvão Bueno a Maguito, então governador de Goiás, em 1997. 

“Os dois viraram amigos. Todo aniversário de Galvão, o único político convidado era Maguito. Goiás está aos prantos. Kajuru, ser humano, está sem palavras” — disse. 

Outro representante de Goiás, o senador Vanderlan Cardoso (PSD) expressou sentimentos à família, declarando que “Goiânia perde um grande gestor, Goiás e o Brasil perdem um grande político e nós perdemos um grande amigo”. Também senador por Goiás, Luiz do Carmo (MDB), disse que Maguito foi um "grande homem e um grande gestor", prestando suas condolências à família. 

Líder do MDB, partido ao qual Maguito era filiado, o senador Eduardo Braga (AM) publicou uma nota de pesar. Ele lembrou do carinho que Maguito Vilela sempre teve com os amigos e o povo de Goiás. 

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) disse que o vírus segue enlutando famílias. E se referiu a Maguito como “um amigo querido, companheiro do MDB, prefeito de Goiânia e um dos melhores quadros políticos do país”. 

Já o líder do Podemos, senador Alvaro Dias (PR), escreveu: “Luto. Morre Maguito Vilela, prefeito de Goiânia, depois de vitoriosa carreira política, foi derrotado pela covid-19. Muita dor e sofrimento. Meus pêsames e solidariedade”. 

Também manifestaram pesar por meio das redes sociais os senadores Leila Barros (PSB-DF), Styvenson Valentim (Podemos-RN), Marcelo Castro (MDB-PI), Confúcio Moura (MDB-RO), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), José Serra (PSDB-SP), Simone Tebet (MDB-MS), Paulo Paim (PT-RS) e Maria do Carmo Alves (DEM-SE). 

Biografia 

Luiz Alberto Maguito Vilela nasceu em Jataí (GO) em 1949 e formou-se pela antiga Faculdade de Direito de Anápolis. Começou a carreira política como vereador na sua cidade natal. Também foi deputado estadual. Em 1986, elegeu-se deputado federal e participou da Assembleia Nacional Constituinte, quando integrou as Comissões de Soberania e Direitos e Garantias do Homem e da Mulher e de Organização Eleitoral, Partidária e Garantia das Instituições. 

Em 1990, Maguito foi vice de Iris Rezende na chapa que venceu o governo de Goiás. Quatro anos depois elegeu-se ele mesmo governador. Após um mandato no Palácio das Esmeraldas, disputou e venceu a eleição para o Senado Federal. Foi membro da Casa de 1999 a 2006. Durante esse período, concorreu mais duas vezes ao governo estadual, mas não foi eleito. Após deixar o Senado, foi prefeito de Aparecida de Goiânia (GO) por dois mandatos, entre 2009 e 2016. 

Em 2020, Maguito entrou na corrida pela prefeitura de Goiânia. Diagnosticado com covid-19, ele foi internado em 20 de outubro e transferido para São Paulo (SP) sete dias depois, antes mesmo do primeiro turno. Mesmo assim liderou a votação, passou para o segundo turno e foi eleito no fim de novembro. A prefeitura passa a ser comandada pelo vice, Rogério Cruz, que está no cargo desde o início do ano. 

Maguito Vilela também foi vice-presidente nacional do PMDB, vice-presidente do Banco do Brasil e vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Segundo sua assessoria, o ex-senador será sepultado em Jataí.

Nota de Pesar 

Dia especialmente triste para Goiás. O prefeito de Goiânia, Maguito Vilela, perdeu a batalha para a Covid, depois de lutar bravamente contra as complicações decorrentes da doença. 

Professor e advogado, Maguito Vilela foi vereador, deputado estadual, deputado federal, governador de Goiás, vice-governador, senador da República, prefeito de Aparecida de Goiânia e, por fim, eleito prefeito de Goiânia, nas últimas eleições, cargo em que tomou posse de forma virtual, já no hospital, neste 1° de janeiro. 

Foram 45 anos de vida pública. Quase meio século de serviços prestados. Um grande brasileiro. Uma grande perda. Meus sinceros sentimentos à família, aos amigos, aos goianos e aos admiradores de Maguito por todo o Brasil. 

Davi Alcolumbre 

Presidente do Senado Federal

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.