Últimas

Corpo de jovem decapitado é encontrado em igarapé no Mutirão

O corpo do jovem do Geovane Ferreira de Souza, 19, foi encontrado em um igarapé no conjunto Mutirão, bairro Novo Aleixo, zona Norte da capital, na tarde desta sexta-feira (26). Recentemente a cabeça do rapaz foi jogada nas proximidades de um campo de futebol.


A irmã de Geovane, Adriana Ferreira, e a avó materna, Waldemarina Ferreira de Souza, reconheceram o corpo de Geovane pelas tatuagens que ele tinha no braço.

Populares relataram que encontraram o jovem por volta de 15h e logo em seguida acionaram os policiais militares da 27ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom).

Uma equipe do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) foi acionado para ajudar no resgate do jovem, que estava em avançado estado de decomposição.

Em entrevista ao Portal Tucumã, a avó do jovem relembra que, por muito tempo, pediu para ele largar o mundo das drogas.

“Meu neto estava sumido há três semanas, vinha sendo jurado de morte por um bom tempo. Até o momento não sabemos a motivação da morte, só quero fazer o sepultamento. Conversei muito com ele, eu disse muito para ele ir trabalhar”, conta.

Adriana Ferreira relembra que outros irmãos também morreram por consequência do uso de entorpecentes.

“O Geovane fumava maconha. Mas quando meu outro irmão morreu de paulada embaixo da ponte, ele se afundou na droga. As únicas pessoas que se salvaram foram minha irmã e eu”, reitera.

Relembre o caso

A cabeça de Geovane foi encontrada na noite da última quarta-feira (25) nas proximidades de um campo de futebol situado na rua Tereza Rosa, localizada no bairro Jorge Teixeira, zona Leste de Manaus.


Segundo os moradores da região, um veículo de modelo ainda não identificado passou pela rua por volta das 19h30 e suspeitos jogaram a cabeça nas proximidades do campo de futebol.

Durante entrevista ao Portal Tucumã, a irmã de Geovane contou que ele usuário de drogas desde os 12 anos de idade e que recentemente teria cometido assalto em uma residência no Jorge Teixeira.

Ele tinha várias passagens pela polícia e vinha sendo ameaçado de morte em diversos bairros da capital amazonense. A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) iniciou uma investigação para apurar o caso.



Foto: Divulgação

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.