Últimas

FAS instala pontos de telessaúde em unidades de conservação da Amazônia

A instalação de um ponto de telessaúde na Unidade Básica de Sáude (UBS) Acajatuba, localizada na Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, região do baixo Rio Negro, beneficiará 19 comunidades ribeirinhas.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

A iniciativa é da Fundação Amazônia Sustentável (FAS) que realizou uma missão para implementação de sete novos pontos de telessaúde nas Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Rio Negro e Puranga Conquista, e na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro.

O projeto visa superar as dificuldades logísticas e de comunicação por meio da conexão com a internet. Com isso, os moradores poderão ter atendimento médico, de enfermagem especializada e psicológico à distância, reduzindo a necessidade de deslocamentos para a cidade. A ação tem apoio da Embaixada da França e do programa “Todos pela Saúde” do Banco Itaú. As RDS são coordenadas pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema).

Além disso, a telessaúde também auxilia nas teleorientações e telecapacitações para os profissionais de saúde adquirirem ou atualizarem conhecimentos em benefício dos comunitários

A gestora da UBS Acajatuba, Quezia Alves Barbosa, explica que o sistema agilizará o atendimento na região, realizado atualmente em apenas três dias da semana, às terças, quartas e quintas, quando o médico está na unidade. Com o sistema de telessaúde instalado pela FAS, enfermeiros e agentes comunitários de saúde (ACS) da região poderão intermediar o atendimento dos pacientes com o médico online.

Outro benefício da instalação do ponto de telessaúde será a possibilidade de emissão do Cartão SUS na UBS Acajatuba. Atualmente, os comunitários precisam se deslocar para os municípios de Manacapuru e Iranduba, para obter o Cartão Nacional de Saúde.

“A FAS é uma parceira incrível que nós temos aqui. Eles não deixam faltar nada em nossa unidade, ajudam com o fornecimento de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e medicamentos também”, pontuou a gestora Quezia Barbosa.

A estimativa do coordenador regional da FAS na região do Rio Negro, Adamilton Bindá, é que a partir de março os atendimentos já iniciem. O sistema, que tem como fonte a energia solar, foi pensado especialmente para facilitar o trabalho dos ACS.

“Os agentes comunitários de saúde estão sempre andando, visitando as famílias para ver essa questão de saúde, só que eles tinham uma dificuldade muito grande com a questão da conectividade. Não tinha internet nem para baixar documentos ou mandar informações para a Secretaria de Saúde do Município, eles ficavam muito isolados. Então, (o ponto de telessaúde) é um benefício para todo o pessoal que é assistido pelos ACS do Rio Negro. Estamos montando pontos de telessaúde que serão responsabilidade deles e com contato direto de médicos e outros profissionais de saúde, parceiros da UEA (Universidade do Estado do Amazonas), Universidade Nilton Lins e do próprio município” complementou. As universidades e as prefeituras são parceiras neste projeto, cuja gestão estará sob responsabilidade do Programa Saúde na Floresta, da FAS.

A UBS fica na Vila do Acajatuba, onde residem atualmente 385 pessoas. A unidade recebe uma média de 100 pessoas por dia para atendimento, que residem nas 19 comunidades da região. Dos casos que chegam na unidade, a equipe estima que 50% sejam de Covid-19. Ao todo, a comunidade já perdeu cinco pessoas para o novo coronavírus.

O vigilante Acassio Costa dos Santos, 34, perdeu recentemente seu pai para a doença. “Eu e minha família pegamos o vírus, passei por um momento muito difícil e tive o apoio da ambulancha da FAS que conduz a gente aqui. Meu pai, infelizmente não conseguiu voltar para casa com vida. Agradeço muito o apoio que eles, da FAS, deram para nós”, compartilhou.

Aliança Covid Amazonas

Para ajudar as populações mais vulneráveis a enfrentar este cenário, com a pandemia do coronavírus, a FAS criou a “Aliança dos Povos Indígenas e Populações Tradicionais e Organizações Parceiras do Amazonas para o Enfrentamento do Coronavírus”, articulada em parceria com 119 empresas, prefeituras e instituições. Diante da nova onda de proliferação do vírus no Amazonas, a Aliança segue promovendo ações estratégicas para reforçar o enfrentamento à Covid-19 no estado.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.