Últimas

Luz aos Invisíveis – “Se estamos impedidos de trabalhar, precisamos de um AUXILIO EMERGENCIAL”

Profissionais do entretenimento buscam uma forma de ser fomentado pelo poder executivo, os profissionais estão há um ano sem trabalhar, eles foram os primeiros a parar suas atividades com chegada do Novo Corona Vírus.

Foto: Divulgação / BLITZ AMAZÔNICO

De acordo com informações são milhares de profissionais que estão parados e sem ter de onde tirar o alimento para pôr na mesa de seus filhos.

QUEM SÃO ELES?

Fotógrafos, cinegrafistas, boleiras, confeiteiras, ornamentistas, animadores (palhaços, personagens humanos e robô de led), cerimonialistas, barman`s, garçons (a), profissionais de diversão (pula, pula, bolinhas e outros), locatários (mesa e cadeiras), DJ´s, recepcionistas, chefe de cozinha, sonoplastas, donos de salões de festa, buffet entre outros que direto ou indiretamente contribui para realização de um evento social (casamento, debutantes, formaturas, festas infantis e empresarias).

Esta semana a Associação dos Fotógrafos e Videomakers, (AFV), se reuniram para montar uma pauta sobre a crise que assola todos esses profissionais que dependem dessa atividade.

E o principal ponto foi uma forma de encontrar um meio para que eles possam receber alguma ajuda do governo municipal ou estadual através de um auxilio, para amenizar a crise que hoje é uma realidade.

INICIO DA PANDEMIA

Em março de 2020, muitos desses profissionais tiveram prejuízos com a determinação do governo estadual e municipal para conter o avanço do novo corana vírus.

Contudo, essa classe de trabalhadores e profissionais tiveram perdas irreparáveis, e até o momento não houve sequer uma solução para que eles possam ficar em suas casas até que a saúde seja restabelecida no brasil e no mundo.

Uma pequena manifestação estava marcada para o dia (17/2), na frente da Assembleia Legislativa do Amazonas, (ALE-AM), uma forma encontrada para que os deputados estaduais pudessem olhar com mais carinho para classe.

Devido ao feriado e a ausência dos deputados o manifesto foi cancelado e remarcado para o próximo dia 23.

A Associação dos Fotógrafos e Videomakers (AFV), emitiram uma nota explicando os motivos do cancelamento da manifestação e sugerindo uma nova data, mas o local, irá permanecer, será em frente a Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM).

De acordo com um dos coordenadores que representa a classe Ronilson Rodrigues, empresário e produtor de eventos, a situação ficou desesperadora com os decretos e falta de trabalho.

“A Amazonia pede socorro por oxigênio e nos do entretenimento pedimos socorros e que alguém possa olhar por nós, somos pessoas do bem, pais de famílias e temos obrigações com os nossos filhos, muitos de nossos colegas hoje não tem o que comer”, explicou Ronilson.

No mês de dezembro sem perspectiva de retorno as atividades os profissionais da fotografia e videomakers, se reuniram e organizaram uma manifestação no dia 28 de dezembro de 2020, uma forma encontrada para chamar atenção do poder público, a concentração foi na frente da Sede do Governo, no ato democrático apareceram cinco profissionais, que acabaram sendo atendidos por assessores do governo que prometeram uma solução a classe.

O governo está nos impedindo de trabalhar, devido ao decreto que foi estabelecido em nossa cidade, conforme à nossa constituição temos o direito ao trabalho digno, Art. 6º São direitos sociais a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o transporte, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição. Já que este direito está nos sendo tirados devemos ter uma contra partida, um AUXILO EMERGENCIAL. E é por este auxílio que estamos reivindicando, disse a presidente da Associação, Daniela Simukaua.

Nenhum comentário

Obrigado por comentar aqui.